Que fofinho

A Marvel possui action figures (bonequinhos dos personagens) de todos os jeitos, estilos e para todos os gostos. Existem aqueles que são precisamente iguais aos personagens, tem os caricatos, os meia-boca, os colecionáveis, os raros, os impressionantes, os divertidos e por aí vai.

Como toda apreciadora de HQ, eu tenho uma coleção de bonequinhos. O meu estilo preferido é o da série Super Hero Squad, que reproduz os personagens da Marvel de um jeito mais bonitinho, até mesmo os vilões. Infelizmente eu não encontro os action figures em lugar algum, com exceção dos Spider-Mans e cia – faltando apenas o Harry Osbourne para completar a coleção, fica a dica para meu presente de Natal hein. Mas como reproduzir um devorador de mundos que pesa toneladas de um jeito fofinho? Ou um esqueleto fantasma em chamas?

 

 

 

 

 

Bonitinhos né? O pessoal da THQ também achou e se uniram a Marvel para lançar em 2009 o jogo Marvel Super Hero Squad. O game será para todas as plataformas, incluindo portáteis e PC, e será focado para o público entre 4 e 10 anos. É um ótimo jeito de introduzir os pequenos aspirantes à true believers no universo Marvel.

Falando em jogos bonitinhos, eu joguei Boom Blox essa semana. O jogo tem a assinatura de Steven Spielberg e é exclusivo para Nintendo Wii. Os cenários e personagens que compõem o jogo são um tanto quanto infantis, porém o jogo exige um raciocínio lógico para derrubar, explodir ou interagir com os blocos. O intuito do jogo é simples, derrubar o maior número de blocos com poucas tentativas. Para que isso seja possível, você arremessará uma bola ou bomba nos blocos através do Wiimote, e é aí que se nota a impressionante física do jogo.

Se Boom Blox deixa a desejar quanto à cenário e personagens, a física do jogo acaba compensando. Qualquer movimento que o jogador faça com o Wiimote terá conseqüências reais no jogo. É preciso calcular a força do arremesso, o ângulo que a bola será jogada, enfim, um jogo de quebra-cabeças muito divertido. A trilha sonora peca, é bem infantil, assim como os personagens, mas é bonitinho vai.

Boom Blox – Steven Spielberg / EA Games

 

Dá certo combinar personagens fofinhos com uma certa lógica no game? Afinal, é um jogo para crianças ou adultos? Eu diria que Boom Blox agrada à todas faixas etárias, e é um excelente jogo para se jogar em família no modo multiplayer. Os jogos fofinhos nem sempre são fáceis ou simples, é o caso do adorável Patapon.

O game de PSP conta a história de uma tribo de guerreiros que marcha, luta e se defende ao comando de um tambor que o jogador controla. Parece simples, para marchar é só fazer Pata Pata Pata Pon, para atacar Pon Pon Pata Pon, mas se você não escolher bem os guerreiros que enfrentarão cada batalha, as armas que estes usarão e souber a hora exata do ataque, sua tribo de guerreiros já era. É um joguinho de estratégia que não deixa de ser bonitinho.

Patapon

E existem também os jogos que são bonitinhos só por serem bonitinhos, o que é o caso do açucarado LocoRoco, jogo favorito do meu colega de redação na EGM, Prandoni. A trilha sonora já entrega de cara que você tem em mãos um jogo fofinho demais. Ao ver os personagens é provável que o gamer ganhe caries imediatas de tão doce que são os semblantes. Porém o jogo possui um visual muito legal e uma jogabilidade muito diferente que merece uma chance para ser testada.

LocoRoco

Qual o público alvo desses jogos? Infantil? Adulto? Garotas? Inexistente? Extraterrestre? Na minha opinião são games para um público mais novo, mas é claro que agrada uma parcela do público mais experiente. Não dá para comparar com jogos de diferentes categorias, e sinceramente gosto é gosto. Joga quem quer. Eu confesso que sou apaixonada tanto por Patapon quanto por Halo 3. Ainda bem que existe uma certa diversidade nas categorias de jogos da nova geração, apesar da esmagadora maioria serem os famosos games em primeira pessoa. Eu gosto muito dos jogos da nova geração, porém não tinha tido a chance de jogar os fofinhos ainda, e devo admitir que são tão bem feitos e legais quanto os outros, e acabam cumprindo exatamente a premissa para que foram criados: Divertir.

PS: Agradecimentos especiais ao Prandoni que me emprestou o PSP dele por 13 minutos para jogar Patapon e LocoRoco.

Piadinha açucarada.

Carla Rodrigues
    • No Related Post
Share on Tumblr
Feed do Post

Comentário Fechados.