A evolução dos jogos de dança

Tags: Bust a Groove, Dance Dance Revolution, dance games, DDR, jogos dança, Just Dance, PaRappa the Rapper, Rhythm Action, Rhythm Game

Fala galeritcha! Como vão?

Conforme estamos acompanhando as novidades no campo dos virais dançantes, Harlem Shake é o novo fenômeno da rede. Não, não faz sentido, nem convém explicar aqui toda magnitude da obra, mas que tal aproveitarmos esse gancho safado para falar de games?

Eu nunca fui lá uma pessoa muito dançante. Nas festas me sustentava naquele passinho mequetrefe um-pra-lá-dois-pra-cá e jamais dancei DDR na minha vida. Mas com a quantidade de amigos ecléticos que tive, pude presenciar fãs tresloucados nos mais alucinantes (e suados) duelos. Já tive inclusive um namorado do qual me separei justamente por conta desse vício. Ele estar sempre suado não era NADA sexy.

Mas hoje deu na telha fazer um apanhado de alguns jogos de dança com os quais me deparei ao longo de minha vida gamer, desde uns bem ruins até um dos jogos mais marcantes que tive a oportunidade de jogar (que sim, era de dança!). Antes de mais nada quero deixar claro que isso não é um top melhores jogos (nem de longe HAHAHA) mas sim alguns jogos que passaram por mim e que prepararam o terreno para os queridinhos Dance Central e Just Dance.

Antes de falar de DDR ou de qualquer outro jogo, convém explicar um pouco o conceito de Rhythm Game ou Rhythm Action. Trata-se de um gênero de jogo baseado em ações musicais que geralmente foca em dança ou em simulação de instrumentos musicais. Esse tipo de jogo requer que os jogadores apertem botões de acordo com uma sequência mostrada na tela. Deixa eu adivinhar…  zilhões de exemplos passaram pela sua cabeça, correto? E provavelmente todos estão certos, tudo é Rhythim Action. Então além de agradecer a Final Fantasy pelo seu inglês, toda noção de ritmo que você tem provavelmente veio de algum Rhythm Game.

Não sei como começou, mas vamos supor que um cachorro rapper tenha alguma coisa a ver com a história. PaRappa the Rapper apareceu em 1996 e parece ter influenciado todo mundo, gerando até o spin-off não muito famoso Um Jammer Lammy. O jogo era simples, jogabilidade precária, mas com história bonitinha, muito colorido e com personagens pra lá de carismáticos, muitos deles aproveitados no spin-off. PaRappa foi por anos o mascote da Sony e é até personagem de Playstation All-Stars Battle Royale.

 


Dance Dance Revolution
ou simplesmente DDR é mais um icônico game que como eu já disse, nunca joguei, mas muito vivi. Sucesso estrondoso nos anos 2000, tinha que ser ideia de japonês e como todo jogo clássico, teve a formula copiada até dizer chega e umas trocentas versões diferentes com zilhões de músicas. A febre iniciou nas máquinas arcade e ao longo dos anos foi migrando para dentro das casas com aqueles tapetes super frágeis que precisava ficar descalço para jogar – tipo Twister.

 

 

 

Nesse ponto geralmente se coloca a ramificação que nos conduz ao RockBand, com a criação de Guitar Hero pela Harmonix. Não vou entrar no mérito do rock, mas posso dizer que esses jogos serviram para um interessante movimento de artistas promovendo suas músicas no mundo dos games. Porque até então as faixas eram todas originais ou de músicas meio obscuras do j-pop. E com essa dos artistas pop se intrometendo nos games, tinha que dar merda. Deu:

 

 

Esse lixo é Britney Dance Beat, uma tentativa que ultrapassa as barreiras da vergonha alheia. Como eu conheço isso? NEM PERGUNTE. Ok, você quer mesmo saber. Olha, até acho improvável não achar a Britney o máximo quando se tem 13 anos, mas no meu caso foi altamente acidental. Acidental do tipo baixei uma ROM e isso veio no lugar. Mas a cagada estava feita, eu tinha a ROM, joguei. Hoje sou uma pessoa triste por ter esse jogo no meu histórico.

E esse é só um exemplo, tivemos vários outros do tipo vergonha alheia que se a gente for atrás fica até deprimido (olha eu fazendo força para não estragar o post citando jogos relacionados a High School Musical…)

Mas tudo bem, nem tudo está perdido. Mesmo que tenhamos que aguentar One Direction e aquela garota do Call Me Maybe, existem jogos com artistas de verdade que valem a pena como o jogo nosso falecido Rei do Pop. Michael Jackson The Experience traz as músicas e os passos do rei e é bem feito. A edição de colecionador vem até com uma luvinha super style.

 

 

Dito isso, eu posso deixar aqui o registro de um dos meus jogos favoritos de todos os tempos e esperar que vocês soltem gargalhadas por isso já que ele é Bust a Groove.

 

Dois comentários são possíveis e esperados por mim:

1 – Que raio de jogo é esse? – Para quem não conhece a pérola.

ou

2 – Mimimi, Bust a Groove não é um jogo troo porque você não dança, você só aperta os botões no joystick e blablabla…

 

 

 

Respostas:

1  –

2 –  E naquela época lá tinha Kinect, meu filho? E era ótimo queimar calorias imaginárias, eu me contentava. Bust A Groove foi um dos primeiros jogos de Playstation que tive e preciso dizer que de cara me apaixonei. Pelas músicas, pelos personagens, por toda a dinâmica do jogo, até os gráficos eram legais pra época. Amor a primeira vista, de forma inexplicável. Lamento muito não terem levado a série adiante e terem ficado só esses dois jogos. Ainda vou casar com o cara que me disser que jogava isso e gostava HAHAHA.

 

Enfim, babies. É isso.

 

Pra quem tá chateado porque não falei de Harlem Shake propriamente, eu dou esse presente:

 

Beijocas!

Aline Carvalhal
Share on Tumblr
Feed do Post
19 Comentários em "A evolução dos jogos de dança"
  1. Alessandro Messias
    04/03/2013

    Olá Aline, que coisa feia jogando Britney Dance Beat ~~. Hehehehehe. Ei que preconceito é esse? Eu joguei muiiiitooo os dois Bust a Groove, até um dia desse tinha a rom no meu xperia play. E um detalhe o um jogo da harmonix de musica estilo pareciiido com GH e RB era o Amplitude do PS2, era bem bacana:
    https://www.youtube.com/watch?v=QJqU3Q_UTI4
    Psicodelico até a alma, mas divertia ^^.

    • Alessandro Messias
      04/03/2013

      A proposito eu aceito seu pedido de casamento viu heheeheh ^^.

  2. Alessandro Silva
    04/03/2013

    Muito boa a máteria Aline!
    Aqui em casa pago uns micos as vezes joando dance central 3!
    rsrsrsrs

  3. 05/03/2013

    CHATIADA é pouco perto do que eu to sentindo por nao SABER que existia esse game da Britney!!!!! hahahaha e tbm tinha um das Spice Girls que era mais velho… que eu também nao joguei :~

    Curti o post! :D

    • Vivi Werneck
      05/03/2013

      Jogo da Britney???!!! Misericórdia!!! ¬_¬ rs

  4. Luismorpheu
    05/03/2013

    Bust a Groove é sem dúvida nenhuma um dos melhores de dança, eu joguei a versao Japa dele, o bust-a-move (nos eua recebeu o nome Groove pra não confundir com o das bolinhas coloridas de encaixar 3 da mesma cor) e saiu o 2 dele também, nao lembro se saiu americano…

  5. 05/03/2013

    Já fui PRO em Pump it Up! Hahahaha!

  6. Kleber Pessoa
    05/03/2013

    Eu jogava muito Busta a Groove, amava esse jogo, só achava ele muito curto e uma pena que não continuaram a série.

    Bom saber que não sou o único no mundo! =D

    P.S.: to solteiro, aproveita!

  7. Homix
    05/03/2013

    Bust a groove foi o melhor e sempre será! Quantos anos não ouso falar desse jogo! *.*
    Era o que? Enix? Quero mais =S

    • leandro(leon belmont) alves
      06/03/2013

      Bust a groove era muito divertido, meu irmão zerou com todos os personagem do primeiro game e a sequência. jogo que lamento não ter saído para a nova geração de consoles na época

  8. Shaka
    05/03/2013

    “Já tive inclusive um namorado do qual me separei justamente por conta desse vício. Ele estar sempre suado não era NADA sexy.”
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    “Dance Dance Revolution ou simplesmente DDR é mais um icônico game que como eu já disse, nunca joguei, mas muito vivi.”
    A vivi realmente jogava muito (rsrs)… tirando a minha piada sem graça não consigo imaginar a Vivi dançando qualquer coisa

    “Esse lixo é Britney Dance Beat”
    Acho que eu ainda sei cantar os dois primeiros álbuns da Britney Spears, inteiros, minha irmã escutava isso o dia todo, aprendi a gostar de algumas músicas.

    “…e aquela garota do Call Me Maybe”
    Eu gosto de Call me maybe =)

    Eu lembro que eu fui em uma World Cyber Games (WCG) e tinha uma competição dessas máquinas de dança, uma era pra ver quem fazia a música mais rápido e a outra era de coreografia onde as pessoas estavam vestidas e faziam movimentos fodas na máquina, muito legal.

  9. The Punisher
    05/03/2013

    Pro Dreamcast teve dois DDR (sendo da área de informática, essa abreviação só me faz lembrar de memórias para PC e notebook) Dance Dance Revolution: 2nd Mix e Dance Dance Revolution: Club Version, antes que alguém fale, não joguei nenhum desses dois…rs

    E Aline ainda tem outro game muito comédia não sei se você conhece ou chegou a ver ou ouvir falar que também envolve, envolvia dança, o Space Channel 5, também para Dreamcast? Esse sim, apesar de não ser fã de games musicais, sejam de dança ou instrumentos musicais, eu acabei jogando.

  10. Leonardo
    05/03/2013

    “Esse lixo é Britney Dance Beat, uma tentativa que ultrapassa as barreiras da vergonha alheia. Como eu conheço isso? NEM PERGUNTE.” Mais um para fazer companhia ao Barney, aquele dinossauro rosa…Hum, até qu nem seria má ideia um Videogamecídio com a Vivi a experimentar esta “porra” enquanto solta os habituais “P*ta que pariu”. Ahahaha.

    Lembro-me de um vídeo, que vinha numa demo, de um jogo das Spice Girls…e isto é a história do meu contacto com os videojogos de dança e canto.
    De resto, bom post.

    • Vivi Werneck
      05/03/2013

      Vocês me amam mesmo! rs

  11. The Punisher
    08/03/2013

    Um [OFF- TOPIC]

    Dando os parabéns a todas a gamers (sejam hard gamers ou occasional gamer) tanto para as garotas do GOW e qto para a leitoras do blog pelo Dia Internacional da Mulher!

  12. Fabiano Zimmer
    18/05/2013

    joguem Mstar no PC, o jogo é lindo e maravilhoso

  13. 30/07/2014

    Oi Aline, muuuito bom o seu post! :D Eu sempre fui grande fã desses jogos de dança, principalmente DDR 4th Mix e Busta Move 1 e 2. EU ERA MUITO VICIADO! E é engraçado que pouquíssimas pessoas conheceram o BaM e é um puta jogo. Mas saiu uma continuação dele sim, pro PS2, o Dance Summit 2001. A jogabilidade mudou muito, e os personagens icônicos desapareceram. Nunca cheguei a jogar mas parece legal

    https://www.youtube.com/watch?v=as4Z0EmF_Yg

    Tem o Space Channel 5 também, mas nunca entendi e nem nunca achei ele u.u

    https://www.youtube.com/watch?v=bbIFc-f3Rgc

  14. Luciano Gardner
    19/12/2014

    Acabei achando a matéria quando eu procurava pela análise de Bust a Move (sim, eu joguei a versão japonesa e não gostei da americana), li apenas a parte do BaM, e jogo esse jogo até hoje no emulador do play1! Ainda quero fazer uma análise completa falando das curiosidades e das mudanças do 1 pro 2! Heat é meu favorito do game!

  15. Ricardo Sanchez
    10/09/2015

    Casa comigo porque eu jogava e jogava muuuito Boost a Groove! Partilho do seu sentimento de pesar por não terem levado a série adiante.

Crie uma conta no gravatar.com para colocar sua foto nos comentários.

Sempre que comentar em algum blog com o email cadastrado, aparecerá sua imagem.