Análise: The Walking Dead (O Jogo)

Tags: Point-and-Click, Telltale, The Walking Dead, The Walking Dead game, The Walking Dead jogo

the-walking-dead (14)

A narrativa sempre foi um dos pontos mais importantes para mim dentro da composição de um bom game. Quando falo em narrativa, não digo apenas no que é falado entre os personagens, mas todo o contexto interativo e/ou apenas ilustrativo que compõe um game. Esse contexto em específico, quando bem trabalhado, promove uma imersão única do jogador naquele universo.

Sabe aquela sensação de você realmente “encarnar” o protagonista e “sentir” as mesmas aflições e conflitos que ele sente? Aquela coisa de ter medo de errar, ou de abrir a próxima porta ou de respirar fundo antes de pular de um prédio? Desde minha breve experiência traumática, no entanto, bastante imersiva com Amnesia: The Dark Descendant – fazia tempo em que eu não me “sentia” parte de um game realmente.

 

Sangue novo para o gênero zumbi

Há tempos venho observando o desenrolar do jogo The Walking Dead, da desenvolvedora Telltale, que é baseado na HQ de mesmo nome criada por Robert Kirkman. O título tem uma abordagem bem diferente do que estamos acostumados a ver no que se refere ao gênero zumbi (que de tanto jogo que existe do tipo, acho que acabou virando um gênero mesmo).

the-walking-dead (9)Esqueça a jogabilidade estilo Left 4 Dead, ou os lança-chamas e serras-elétricas, ou mesmos os agentes da S.T.A.R.S. altamente armados. No jogo da Telltale você é um humano normal, ou seja, sem super poderes, super inteligência, sem ser um ciborgue ou tendo uma ogiva nuclear dentro da mochila. E aí é que vem a grande sacada do game: assim como na HQ, os zumbis acabam se tornando meros coadjuvantes, ou mesmo “panos de fundo” numa narrativa totalmente voltada para as emoções humanas e como as pessoas poderiam reagir numa situação de completo caos e anarquia.

Assim como os outros títulos da desenvolvedora, The Walking Dead é um point and click onde as ações e acontecimentos são diretamente determinadas por escolhas, com leve exploração do ambiente objetivando resolver alguns puzzles. O jogo está, atualmente, no seu quinto episódio e já com o sexto confirmado – numa segunda temporada. Tudo o que você decide (ou omite) fazer terá uma consequência direta no decorrer da trama e, a não ser que você comece um episódio todo novamente, não é possível voltar atrás numa decisão. É aquela sensação de “tenho que tomar uma decisão e não poderei voltar atrás”.

 

Personagens marcantes, história envolvente

O grande diferencial desse título, em relação às centenas de outros jogos de zumbi, é o apelo quase que exclusivo a questão “tentar sobreviver aos vivos”. Isso porque os maiores inimigos neste caso, não são os mortos – mas sim os que ainda sobrevivem num cenário apocalíptico e farão de tudo (tudo mesmo, se for necessário) para permanecerem vivos.

Dentre as milhões de possibilidades de histórias diferentes com a mesma abordagem, você irá se deparar com o drama do protagonista Lee e sua tentativa sobre-humana de manter a salvo a pequena Clementine. Ao longo deste caminho, o jogador (sempre no controle de Lee) conhecerá outros sobreviventes, dos quais terá que decidir se valerá à pena ou não confiar neles (ou se será seguro) e terá que tomar decisões difíceis por vezes – como decidir em pouquíssimos segundos quem salvar de uma determinada situação ou se irá matar ou não alguém.

the-walking-dead (12)

Todas as suas ações deverão ser tomadas num curto espaço de tempo. A cada nova pergunta de algum personagem a você, ou a cada nova situação extrema, o jogo mostrará um contador de tempo para sua resposta (ou atitude) – e que irá variar de velocidade de acordo com o calor do momento. Ou seja, você não vai ter meia hora para decidir se irá pular ou não de um telhado a outro de um prédio para fugir de zumbis que acabaram te encurralando, por exemplo.

Falando mais um pouco dos personagens e, mesmo com o fato do título apresentar um visual cartunesco (um pouco no estilo visual de Borderlands), nota-se claramente as emoções das pessoas em suas expressões faciais e se elas estão felizes com você ou mentindo, por exemplo. A forma com que Lee trata os que estão em sua volta (ajudando, brigando, fugindo…) é lembrada por eles e poderá ser usada em seu favor, ou contra o seu personagem, quando menos se esperar. Outro aspecto importante de se falar é em relação à excelente qualidade da dublagem e a emoção passada pelos atores no momento certo de cada cena.

 

Por que vale a pena jogar?

O gameplay estilo “apontar e clicar” nem sempre é visto com bons olhos ou com muito entusiasmo aos acostumados a “apontar e atirar”, ou “apontar e esquartejar”. O que quero dizer é que, geralmente, o jogador que está acostumado com títulos de ação desenfreada – com muitos tiros e várias armas – talvez não ache a ideia de um jogo mais focado em diálogos e decisões interessante.

the-walking-dead (2)Não estou dizendo, com isso, que o jogador acostumado com Call of Duty e/ou Battlefield, por exemplo, não poderá se interessar pelo gameplay de The Walking Dead. Tudo é uma questão de dar uma chance a um estímulo diferente de interação e que, acredite, valerá bastante. O jogo ganhou com louvor o prêmio de Game of The Year de 2012 por conseguir prender a atenção do jogador a cada clique, a cada susto, a cada momento emocionante ou de desespero.

Os personagens (mesmo os antagonistas) são muito bem trabalhados e a ligação paternal entre Lee e Clementine quase arranca lágrimas ao final do quinto episódio. Esse foi um dos raros jogos em que terminei e fiquei por um bom tempo refletindo sobre tudo o que aconteceu, e se eu faria realmente as mesmas coisas que decidi para Lee fazer. Acredito, e isso é uma visão bem particular, que cada um que jogar (pelo menos da primeira vez) irá dar ao game muito da sua própria personalidade nas decisões e isso é o que torna este título ainda mais estimulante e inesquecível. Quem venha o episódio 6!

 

Vivi Werneck
Share on Tumblr
Feed do Post
56 Comentários em "Análise: The Walking Dead (O Jogo)"
  1. The Punisher
    02/01/2013

    Não joguei nada dele, mas, pelo que vi e ouvi tudo sobre esse game parece realmente valer a pena. E se tratando de point and click pra mim não nenhum problema, pois já joguei vários no PC dentre eles Drácula e Dracula 2: The Last Sanctuary que também são muito bons vou dar uma checada nesse The Walking Dead e estou ansioso também para ver como vai ficar o The Walking Dead: Survival Instinct onde se vai ter os irmãos Dixon e o Daryl como protagonista e onde de acordo com desenvolvedores vai estar focado realmente na sobrevivência e não sair dando tiro em tudo quanto é zumbi para prosseguir.

    • The Punisher
      02/01/2013

      E antes que eu esqueça Vivi…enfim uma nova análise após tanto tempo…rs.

      • Vivi Werneck
        02/01/2013

        sim! a ressaca do ano novo passou e voltei a raciocinar normalmente, rs. vou tentar escrever mais análises, falta um pouco de tempo, mas vou escrevendo aos poucos na medida do possível. =)

  2. Lipe!
    02/01/2013

    Esse jogo é que foi GOTY, né?

    • Vivi Werneck
      02/01/2013

      sim, o link está no texto. =)

      • Lipe!
        03/01/2013

        Então, não creio que esse jogo é GOTY, mas pelo o que tão falando…
        Poxa, tô perplexo.

  3. 02/01/2013

    O jogo é pra PC? Vou jogá-lo.

    • Vivi Werneck
      02/01/2013

      Tem pra PC (Steam), PS3 e Xbox 360. Apenas por download.

      • The Punisher
        02/01/2013

        Se não me engano já saiu em midia física também, não saiu não?

        • Vivi Werneck
          02/01/2013

          ih, não sei. me atualize por favor. disse que seria por download pq, como o jogo é lançado em episódios, ficaria meio confuso lançar em mídia física.

          • The Punisher
            02/01/2013

            É acabei de ver em algumas lojas, saiu mesmo em mídia física com o nome de The Walking Dead: A Telltale Games Series.

          • The Punisher
            02/01/2013

            E outra coisa Vivi, o em midia física The Walking Dead: A Telltale Games Series vem com os cinco episódios já lançados. Vai ver vai sair em mida a cada digamos “temporada” do jogo.

  4. 02/01/2013

    Pena que não é traduzido, não entendo muito de inglês, daí não consigo sentir a dramaticidade da narrativa. D= Principalmente quando este jogo é focado em escolhas… saber o idioma é requisito.

    • Vivi Werneck
      02/01/2013

      Realmente entender bem inglês (tb não precisa ser um expert) é muito importante para saber direitinho o que fazer. como disse no texto, é preciso tomar decisões rápidas. o que ajuda, nesse caso, é ativar as legendas. já melhora um pouco para quem não entende muito do inglês falado.

      Mas dá uma olhada em fóruns do jogo. Sempre tem alguém que está trabalhando em traduções para esse tipo de jogo. Nem que seja apenas da legenda.

  5. Soldado Rock
    02/01/2013

    Não sei se tem legenda em português, acho que não, teria que ter se o foco é enredo e envolvimento com a estória, mas joguei um pouco deste jogo e achei bem interessante a jogabilidade, pois foge um pouco da regra e isso é bom.

  6. Beatriz
    02/01/2013

    Esse jogo é simplesmente fantástico, eu admito que tive um pouco de receio quando fiquei sabendo desse jogo, achando que poderia ser mais uma tentativa falha de fazerem jogos adaptados de hq’s. Quebrei a cara, logo que comecei a jogar me apaixonei pelo enredo e o carisma dos personagens, o jogo possui uma capacidade de imersão incrível, eu realmente fiquei tensa em algumas partes, feliz em outras e quando acabei o choro ficou engasgado rsrs.
    Valeu muito a experiência e com certeza mereceu o prêmio Game of the year, muito bom mesmo, recomendo.

    • Vivi Werneck
      02/01/2013

      “eu admito que tive um pouco de receio quando fiquei sabendo desse jogo, achando que poderia ser mais uma tentativa falha de fazerem jogos adaptados de hq’s”

      – Fico feliz de não ter sido a única a quebrar a cara também nesse sentido! rs

  7. Ana Paula
    03/01/2013

    Acho que você escreveu exatamente tudo que eu penso sobre esse jogo. Torci o nariz quando soube que era “point and click”. Só resolvi que ia jogar quando ele ganhou o GOTY, deixando vários títulos de peso pra trás, como Borderlands 2, que eu amei. Quando a Steam disponibilizou The Walking Dead por um precinho delicioso, eu comprei e baixei correndo. Nunca fiquei tão emocionada com a história de um jogo. Não sou de chorar, mas tive que fazer força pra não acabar em prantos no final do jogo.

    Outra coisa legal foi a ideia que tiveram de colocar no fim de cada episódio a porcentagem indicando quantas pessoas tomaram tal decisão.

  8. leandro(leon belmont)alves
    03/01/2013

    The Walking Dead é um game de zumbi com drama que emociona o jogador…e é point and click. gosto de games assim como Myst e Day of Tentacle.

    vou ver se o compro hoje, espero que seja ao menos um jogo razoavel

  9. HaPa
    03/01/2013

    The walking dead e sucesso absoluto seja ele nos quadrinhos, seriado ou game. Chupa Capcom! e assim que se faz game de zumbi!

  10. Rafael
    03/01/2013

    realmente esse jogo parece muito bom, faz tempo que não jogo nada nesse estilo, o ultimo que joguei foi Heavy Rain e olha que nem é bem um point and click.

  11. xxx
    04/01/2013

    nossa …e nada de resident 6;/ por que só o resident 4 foi goty? há muitas críticas aos games japoneses…eu jogo por mim , as críticas eu olho e não pauto minha vida por elas…crítico é uma pessoa normal que está sujeito a tudo;D vou jogar depois esse walking dead

  12. bquarkz
    04/01/2013

    Fazia tempo que não jogava um jogo tão bom. Sou da velha guarda e joguei muito “point and click”: Loom, The Dig, Day of Tentacle, etc… Então me senti em casa. Simplesmente perfeito, comprem e joguem vale cada centavo. E para quem não entende nada de inglês, é só procurar no tio google que pode-se encontrar algumas traduções para o tupiniquim, fácil, fácil.

  13. Hélio
    04/01/2013

    Bom, faz um tempo q estou esperando a versão física desse jogo pq na minha casa, é complicado acessar a internet no console devido à distância e tbm não tenho roteador… :/
    Tenho certeza de q o jogo faz meu tipo, pois já me disseram q era como um Heavy Rain com zumbis. Adoro jogos assim.
    De qualquer forma, não desmerecendo o jogo, fiquei desapontado qdo vi q ele tinha ganhado o GOTY e não Max Payne 3, aquele TPS brilhante.

  14. Renan Sousa
    05/01/2013

    uns amigos meus adoram walking dead.
    mas eu, sou uma desonra, nunca assisti.. x.x

    não sabia q tinha ganhado GOTY. vou comprar pelo steam e jogar. gosto muito dos point and clicks clássicos :)

  15. Jonatas Afonso
    05/01/2013

    Oi meninas, cheguei ao final do game e faço minhas as suas palavras. O game é bom, mas para ficar melhor faltou um fator replay. Acho pouco provável que jogue uma segunda vez.

    Aproveitando o momento, feliz ano novo :)

    • Soldado Rock
      05/01/2013

      Fator replay, ta aí algo que anda curto na maioria dos jogos atuais, pelo menos a pouco foi lançado o Boderlands 2 e FarCry 3, jogos longos e bem estruturados, Dishonored é um pouco curto mas achar todo o dinheiro disponível e itens do jogo também ocupa um bom tempo.

  16. Hélio
    07/01/2013

    Bom, ontem eu comecei a jogar Walking Dead e fechei o episode 1 de uma tacada só. Fiquei realmente impressionado, não esperava tanta qualidade.
    O jogo te deixa realmente tenso e testa a sua moral freqüentemente, e qdo vc menos espera.
    Fiz algumas escolhas um tanto impopulares (pela estatística mostrada no fim do episódio), e bom, vou falar sobre elas, então quem não jogou não leia a partir daqui pois contém SPOILERS:

    SPOILERS:

    Bom, qdo conheci o fazendeiro, ele me perguntou algumas coisas pessoais, eu ainda estava desacostumado com o sistema de tempo pra resposta e acabei mentindo. Depois vi q só 15% dos jogadores mentiram pra ele.
    Na hora q os zumbis atacam o rapaz e a criança no trator, eu escolhi salvar a criança e fiquei meio decepcionado de ver q 74% das pessoas salvaram o adulto. Poxa, o menino é chatinho, mas é uma criança, é prioridade pela ética, gente!
    Bom, matei o irmão de Lee pq ele já era um zumbi e não havia mais como salvá-lo.
    Escolhi salvar a Carley pq achei ela mais legal q o Doug.

    FIM DO SPOILER

    • Hélio
      07/01/2013

      Bom, agora com mais calma, eu lembrei das cinco escolhas direito:

      SPOILER

      menti pro fazendeiro, salvei Duck, fiquei do lado de Kenny, tentei evitar a morte da mulher infectada, mas ela se mata de qualquer forma e salvei a Carley.

      FIM DO SPOILER

  17. Yan
    07/01/2013

    Jogo EXCELENTE e que foge de toda aquela coisa de zumbis que estamos acostumados a ver por aí! Joguei esperando apenas um jogo bom, e não um jogo inesquecível desses. Que venha o episódio 6!

    ps.: como assim “quase” arranca lágrimas, Vivi?

  18. Hélio
    07/01/2013

    Acabei o capítulo 2 agora e se antes eu tinha dúvidas de q merecia o GOTY, agora não tenho mais. As escolhas do jogo estão cada vez mais difíceis.
    Bom, eu sinto q fiz MUITA coisa errada sem querer, mas minhas intenções eram boas, pena q nem sempre isso basta.

    SPOILER

    Pra começar, no início do capítulo, eu me enrolei tentando quebrar as correntes pra salvar o velhinho, aí como não funcionava de jeito algum, eu decidi q infelizmente teria de cortar a perna dele. O problema é q eu demorei demais nisso e não cortei a perna completamente, nisso o velhinho ficou agonizando com dor lá e foi vítima dos zumbis.
    O rapaz eu acabei atirando por pânico, depois isso tornou ele um zumbi e tive q matá-lo.
    Lá na fazenda nova, eu matei a mulher pq achei q ela iria atirar nas bolas do Lee. Me arrependi amargamente. //
    Na parte em q descobri o Mark sem pernas, eu fui até a sala e fui direto, acusei todo mundo q morava na casa. Fomos presos e qdo o pai da Lily teve um ataque do coração, eu decidi salvá-lo (única escolha q eu não me arrependo). Mas fiquei triste por Kenny se sentir culpado, ele não o matou por maldade, mas pra salvar os outros.
    E bom, eu matei o filho e o pai na fazenda (os psicopatas, claro) e fiquei arrasado pq Clementine ficou chocada com isso. Eles eram maus, poxa.
    E no final, decidi roubar a comida no carro pra não deixar todos morrerem de fome. Mas acho q decepcionei a Clementine de novo. :(
    Enfim, tá cada vez mais difícil fazer as escolhas nesse jogo.

  19. Ivanilson Gomes
    08/01/2013

    Esse jogo é nota 10!
    Sou muito fãn da franquia de RE, mas realmente… é muito mais emocionante você se prender ao personagem, fazendo do caminho (escolhas), dele, o caminho que você faria ou não naquela situação! Diferente de RE que ja tem toda a historia definida e você só tem que se preocupar em sobreviver e resolver pluzzes!
    Esse foi o melhor jogo, para mim, ja feito; alem de ser bem inovador e ousado, ja que juntou dois pontos que deixaram muita gente com dúvidas no momento: “Julgue o livro pela capa!”; que foi o gráfico e o tipo PAC (point and click)!
    Telltale esta de parabens! ^^

  20. Hélio
    08/01/2013

    Terminei os episódios 3 e 4. Pra mim, melhor jogo da geração, na boa. Top demais. Estou maravilhado com essa história, tem momentos q vc até esquece do mundo real de tanto q se envolve com o drama dos sobreviventes. Mal posso esperar pelo episódio 5, q estou baixando aqui agora.
    A única parte triste é q vou ter de esperar pelo episódio 6. Meu dia sem Walking Dead não é a mesma coisa.

    • Ivanilson Gomes
      08/01/2013

      Neh?! (:

  21. Ivanilson Gomes
    09/01/2013

    Ja começaram a sair noticias sobre o 2, hein!
    Estão procurando meios de continuar o game segurando as escolhas feitas na jornada anterior! Esse TWD2 PROMETE!!!

  22. Hélio
    10/01/2013

    Terminei o 5º episódio. Final muito triste, nossa. Fico pensando se determinadas escolhas não salvariam pelo menos algumas pessoas do grupo. :/

    • Yan
      10/01/2013

      Também ficava me perguntando isso direto

      • Hélio
        10/01/2013

        Pior q eu li em muitos fóruns americanos por aí q a maioria dos personagens, se não morrer de um jeito, morre de outro. :/
        Bom, espero q num possível ep.6, a gente possa controlar a Clementine.

        • The Punisher
          10/01/2013

          Mas isso dos personagens morrerem é assim mesmo, se no original (HQ) é assim e na série também, não poderia ser diferente no jogo, se não ficaria fora da proposta, ideia original do autor.

          • Hélio
            10/01/2013

            É, mas não deixa de ser bem triste. Gostaria q pelo menos alguém mais importante sobrevivesse. :/

        • luis lopes
          27/04/2013

          mas a gente vai

      • luis lopes
        27/04/2013

        eu tbm

  23. Hélio
    10/01/2013

    Bom, meu balanço geral do jogo é q ele tem uma das melhores histórias de todos os tempos. Pra mim, apenas MGS e talvez a saga inteira de FF7 possam ser superiores.
    TWD virou meu game favorito desta gen. Sensacional, cada minuto nele vale a pena demais.

    • Yan
      10/01/2013

      Sem contar que ele tem dois dos melhores personagens de todos os tempos: Lee e Clem!
      Sério, no começo eu não esperava que eles fossem personagens tão inesquecíveis. A maioria dos outros também é, mas esses dois são fora de série!

      • Hélio
        10/01/2013

        Sim, verdade. Mas eu considero o Kenny tão bom qto Lee e Clem. Ele é um cara incrível. Até mesmo o Ben q eu não dava nada por ele mostrou q tbm tem uma boa qualidade, embora não tanto qto esses 3.

        • Yan
          14/01/2013

          De fato, o Kenny é um ótimo personagem!

  24. Tiago Ricardo Charão
    12/01/2013

    O jogo é sim bastante linear. A maioria das escolhas, infelizmente não interferem tanto quanto deveriam, porém outras (a minoria), interferem muito (ex: escolher se manter mais ao lado do Kenny ou da Lily). Todavia, fiquei satisfeito em saber que o jogo ganhou o Goy, ele mereceu. Tem um enredo envolvente e personagens dos quais se tornamos próximos (destaque para Lee, Clementine e Kenny). Também merece ser o Goty por trazer um protagonista Negro, algo incomum nos games.

  25. 13/01/2013

    joguei uma demo do primeiro capítulo mas não me empolguei muito. o visual é meio infantilizado demais. e o que falam dele ser linear me assusta mais que os próprios zumbis, pois acho que poder escolher e não fazer muita diferença (final diferente, novos cenários, outras pessoas para interagir) não é dar liberdade. o problema é que esse tema de zumbis já foi sugado a níveis insuportáveis.

  26. nemo.
    14/03/2013

    eu terminei oo 5° episodio agora e to ancioso pelo 6°

  27. luis lopes
    27/04/2013

    e vdd na ultima fase eu quase chorei mano eu fi

  28. luis lopes
    27/04/2013

    no coimeço eu nao gostei muito de mira e clickar e de andar sem arma nenhuma ou andar com a arma na calça e nao poder pegar sem motivo mais dps eu começei a gostar principalmente da historia agr só tenho q aguardar o ep 6

  29. luis lopes
    27/04/2013

    ta eu admito eu chorei merdaa T-T

  30. Andrei
    19/05/2013

    Eu Gostei muito do jogo,ja zerei ele pena que o Lee Morre,fique bastante triste,mas o enredo e o desenvolvimento do jogo é perfeito

  31. Andrei
    19/05/2013

    O jogo vicia por que voce quer saber o que vai acontecer com determinado personagem como a Molly,A lilly,o Larry e o Ben…O palha foi que o Lee virou Zumbi :*(

  32. luisfelipe
    07/12/2013

    eu so fa de the walking dead

Crie uma conta no gravatar.com para colocar sua foto nos comentários.

Sempre que comentar em algum blog com o email cadastrado, aparecerá sua imagem.