CGE: Minha primeira vez… Jogando RPG

Tags: Chaotic Evil, Crônicas de uma Gamer Enlouquecida, dicas RPG, Lawful Good, morrigan, RPG, True Neutral

Caaara, quanto tempo que eu não escrevo uma Crônica Gamer! Bom, mas como devo ficar de môlho em casa neste sábado, devido a um leve desmembramento do meu pezinho direito no último treino de Kung Fu (sim, eu luto. Corram para as colinas! rs), resolvi ressuscitar a maledeta.

Mas sobre o que escrever? Depois de consultar meu arquivo milenar de atrocidades, digo, coisas fofas gamers, lembrei-me da última conversa que tive, há poucos dias, com meu eterno mentor intelectual em RPG e inesgotável fonte de pesquisa sobre assuntos de empalamentos de paladinos: meu ex-ex-namorado e atual amigaço Gabriel, vulgo Cobrinha (Antes que pensem besteira, o apelido é porque ele sempre gostou de jogar como Setita, em Vampire).

Você tem dado em casa?

Você tem dado em casa?

Conversávamos sobre meus estresses terríveis quando comecei a jogar RPG de mesa e que não eram poucos. Particularmente, tenho que admitir que prefiro, por um lado, jogar RPG no computador pela forma automática que as coisas são administradas. Eu sempre achei broxante ter que parar o raciocínio, no meio da batalha, para jogar o dadinho e ver se eu ia conseguir introduzir, de forma avassaladora, a adaga no orifício excretor do Orc fofolete, por exemplo.

Mas eu não vou ficar aqui explicando para vocês valores de armas e coisas do tipo 1d4, 2d8, 4dá pra todo mundo e por aí vai… Outra vantagem que sempre achei de jogar RPG no PC foi em relação à maldita contagem do dinheiro! As famosas moedas de ouro, prata e bronze.

Você queria comprar uma super espada destroça-a-mãe-e-empala-o-pai que custava, por exemplo, 3 moedas de ouro, 2 de prata e 20 de bronze e lá ia você, com a máquina de calcular, conferir se o blacksmith – vulgo homem que mexe no ferro (ui co-le-ga!) – não ia te sacanear e cobrar a mais, ou pior, te roubar! (Conselho útil: blacksmiths que aparecem pouco antes de você entrar numa batalha épica, sempre cobram os olhos da cara por qualquer faquinha que seja. Solução: mate-o e pegue o que quiser. Simples assim…)

Vivi Psycho Hellfire Potion – Corroendo aborrescentes desde a Dark Age

No entanto, apesar dessas e outras vantagens de se jogar no PC, como o fator visual e musical do game, jogar RPG de mesa tem uma vantagem crucial: o desenvolvimento da história. Tá bom, a história de Neverwinter Nights, Oblivion e Dragon Age são lindas, mas nada se compara com uma campanha em que você pode, efetivamente, participar com as SUAS escolhas e não escolhendo dentre 4 ou 5 respostas pré-definidas pelo game no computador.

Quantas vezes eu já não quis dizer para a minha maldita party, em um jogo no PC:

“Gente é beeeem mais rápido e seguro cruzar o mapa atravessando 3 metros desse lago, logo a frente, do que dar uma volta de 2 dias em torno dele para chegar na mesma bosta de lugar!!!”

Mas o miserável do jogo não se importa que você esteja na merda e não tenha mais poção nem para curar cólica menstrual e já esteja usando os scrolls do wizard para limpar o bumbum, depois de um “número 2”, pela falta de papel. Ele, simplesmente, diz um “se f*** aí!” e manda você dar a volta no lugar, correndo o risco de encontrar o mundo querendo te empalar no caminho! Ui…

Já no RPG de mesa você tem como usar a opção mais sensata para o momento. É claro que isso não vai te dar pontos de experiência, mas com certeza, vai te poupar um bom dinheiro que seria gasto comprando kits de cura e bandagens para colar os braços e pernas da sua equipe de volta no lugar.

Outra coisa que penei para aprender foi a respeitar o alinhamento dos meus personagens. O alinhamento nada mais é do que a forma com que o seu personagem se comporta em relação aos demais seres e sua opinião sobre como lidar com o mundo. Darei (Uii… Danada!) um exemplo de três tipos desses alinhamentos, que são os mais básicos em games de RPG – especialmente no PC:

Lawful Good: são os bonzinhos da campanha, ou seja, os personagens construídos sob essa conduta são a essência da lealdade a um ideal, ou a algum Deus, e se sacrificariam sem pensar duas vezes pela paz mundial (parece discurso de Miss!). Em poucas palavras, são os estraga-prazeres que não te deixam roubar nada, ficam putinhos da vida quando você “acidentalmente” decepa aquele velhinho que não queria te dar um desconto na poção e (quase) sempre morrem no final. No entanto, é sempre bom ter um engomadinho desses na equipe, especialmente se for um Paladino, caso você vá enfrentar mortos-vivos ou bichos do tipo, já que eles são especialistas em lutar contra criaturas das trevas.

True Neutral: são aqueles que estão pouco se f*** se você é bom ou ruim, se você quer salvar o mundo ou destroçar tudo pelo caminho. Eles têm seu próprio modo de viver e pensar, além de agirem por conta própria. Se algum desses estiver na sua equipe, com absoluta certeza é porque ele vê alguma vantagem nisso (para ele – evidente). Um Neutral não gosta de você, mas também não te odeia. A partir do momento que não mais interessar a ele estar ao seu lado, ele simplesmente irá embora e só. Com isso, ele não é um personagem muito confiável, já que estará sempre do lado de quem lhe trouxer mais vantagem, no entanto, pode ser (enquanto estiver com você) um ótimo parceiro de luta, especialmente se for um rogue ou druida.

Chaotic Evil: são os mega f*dásticos esvisceradores de tudo que respira e queimadores de vilarejos mór. Eles são tudo de ruim, anti éticos, disseminadores do caos e matariam até mesmo um coelhinho da Páscoa fofolete só para tingir o chão com uma cor diferente. São especialistas em torturar e deixar definhar até a dolorosa morte troços dos infernos como: Barbie, Barney e Tails (Bola de Capotão Mutante Imprestável!). Não seguem nenhuma lei ou ordem e vivem para saciar sua vontade de sangue, tripas e sofrimento alheio (hehehe). Nem preciso dizer que não é lá muito recomendável ter um “amiguinho” desses na sua equipe, a não ser se o jogo te impuser isso, como é o caso do rogue Bishop Starling, em Neverwinter Nights 2. Os Necromancers são os personagens mais conhecidos desse alinhamento (e um dos mais legais de jogar também! XD)

Tendo tudo isso em mente, aproveito a oportunidade para lançar o “SELO MORRIGAN DE QUALIDADE”. Nesse caso específico, o selo será usado para julgar algumas coisas que já passei na minha vida jogando RPG e que devem ou que não devem ser repetidos por vocês numa campanha:

* MORRIGAN APROVA:

1) Por mais que, às vezes, você deseje do fundo da alma que seu companheiro de equipe pentelho caia sentado numa estaca após cair de um abismo, nunca é muito prudente querer resolver tudo sozinho. Procure sempre ter mais alguns idiotas para apanharem junto com você.

2) Venda tudo o que não estiver usando no seu inventário ou use seus amiguinhos de aventura como burros de carga. Você é o astro do jogo e não pode ficar se arrastando lerdamente por aí por tentar lutar e, ao mesmo tempo, carregar na bolsinha um mamute que ganhou de presente de algum rei numa missão.

3) Vitória limpa? Já ouviu a frase “os fins justificam os meios”? Para que se arrebentar todo encarando um ogro ou um orc de frente? Vá sorrateiramente por trás do adversário e enfie a espada no útero do bicho (ou coisa parecida se for macho) ou conjure um feitiço desmembrador e dilacere o coitado de uma vez. O cara nem vai saber porque morreu!

* MORRIGAN DESAPROVA:

1) Sidequests inúteis são um saco e só fazem você perder tempo, poções de cura e kit primeiros socorros. A criançinha catarrenta da Vila Mimosa perdeu o gatinho na Floresta do Capeta Escaldado e quer que você vá buscá-lo? E você aceita e vai lá só para constatar o óbvio, ou seja, que a p*** do gato já virou churrasquinho de esquina de bar e que você está cercado de capetinhas seguidores do Capetão Escaldado? Não, definitivamente, esta não foi uma escolha inteligente!

2) Você precisa de uma certa chave para entrar na Câmara Secreta e filmar um flagrante do Harry Potter sendo carcado pelo Dumbledore para pôr no RedTube e a bosta do cara só vai te dar a chave se você fizer um “favorzinho” para ele? Olha, se você quiser servir de “tomada fêmea” para o tal cara é problema seu, agora não leve toda a sua equipe para ver esse aborto cósmico da natureza!!!

3) Você quer sacrificar sua vida para salvar o mundo? Aaahhh… Cansei de você! Vai lá então virar croquete de Dragão que eu vou para o barzinho tomar uma caipirinha com o Titan aqui! Uuuiii… Como ele é graaande!!!

Vivi Werneck
Share on Tumblr
Feed do Post
63 Comentários em "CGE: Minha primeira vez… Jogando RPG"
  1. Renan Rodrigues
    27/03/2010

    *ri*
    *continua rindo*
    *baba de tanto rir*
    *perde o ar e começa a chorar de tanto rir*
    *cai no chão e é mandado para o hospital -rindo*
    *volta do hospital e continua rindo*

    OMFGM!! Sério, além de me identificar com grande parte, estou morrendo de rir aqui.
    A criançinha catarrenta da Vila Mimosa perdeu o gatinho na Floresta do Capeta Escaldado e quer que você vá buscá-lo?
    Odeio sidequests. Uma das piores coisas inventadas (acho que só perde pra parentes).

    • 27/03/2010

      algumas sidequests até que são úteis, em alguns casos, quando você consegue uma arma ou armadura muito show, encontra um super aliado ou abre algumas rotas de fuga. No mais, são dispensáveis e só servem para bagunçar o seu “journal”. XD

      • Renan Rodrigues
        27/03/2010

        Mas de cada 20 sidequests, somente uma te dá algo realmente útil/legal, o resto só te dá itens maravilhosos, como uma potion (sendo que pra completar a sidequest usa umas 20).

      • Guilherme Nascimento
        27/03/2010

        E aí Vivi! Coincidência ou não, hj estava no meu trino de kung fu. Meus braços estão doendo de tanto treinar calejamento! =P Melhoras p pezinho heuehuehuehueehuue
        Meganostalgico esse post! e a piadinha infâme sobre os dados nunca é esquecida!!! hiaiuahiuahiahiahiahiuahuia
        Lembrei qnd era moleque em meados de 96, qndo joguei minha primeira aventura de Tagmar, um dos rpgs mais toscos da época!! XD Dps passamos por Shadowrun, Lobisomem e AD&D. Comprei o First Quest e dps o livro do jogador de AD&D de segunda mão rs. Aí me tornei mestre e joguei tbm, Vampiro: A Máscara e Idade das Trevas. Foi uma época feliz e conheci mtas pessoas! Dps veio a 3ª edição do D&D e só jogava raramente. Agora estou jogando D&D 3.5 c um novo grupo. O mestre poe um monte de sidequests, q como vc mesma disse, só serve p fuder os personagens, acabar c poções e itens de carga e p colocar akele maldito monstro da ferrugem p destruir akela sua armadura novinha q vc comprou na cidade dos anões!!!
        Ainda não sei se nosso mestre é um sacana ou se somos mto burros p fazer as escolhas certas, mas ultimamente só temos ido em lugares q a dor e morte sangrenta reinam!!! Dos personagens q estavam na primeira aventura só sobrou um!!! o resto teve uma morte tão horrenda qnto uma briga de foice no escuro!!! Agora o pessoal segue c novos personagens e sem nenhuma certeza de sobrevivencia! =P

  2. 27/03/2010

    Adorei esse post, fiquei morrendo de vontade de jogar RPG de mesa aki e dilaçerar a alma de todos no meu caminho @.@

  3. lucas
    27/03/2010

    gostei do post … fiquei com vontade de joga diablo…
    mais o vivi que estilo de kung-fu vc faiz?

  4. lucas
    27/03/2010

    atah… eu faço o hung gar

    • Guilherme Nascimento
      27/03/2010

      Eu faço Shaolin do Norte =)

  5. lucas
    27/03/2010

    ultima pergunta o vivi seu mestre é o li hon ki? o introdutor no kung-fu na america do sul .. e etc etc?

  6. 28/03/2010

    Coringa é o melhor exemplo de chaotic evil.Ponto.

    RPG depende em boa parte das habilidades do mestre (note q eu me recuso a usar o adendo “lápis e papel”).
    Com alguns pode ser algo equivalente a jogar Mass Effect (sem sexo, god-fucking awkward) ou Planescape: Torment.

    Com outros eh algo como Pompolic Wars.

    Mudando de rumo um pouco, uma mecanica interessante é a pré-rolagem de dados, ao menos aqueles q o mestre rolaria. Deixa as coisas bem mais dinamicas. Qdo eu mestrava encontros os inimigos já tinham na ficha sua iniciativa.

    Qto a sidequests inúteis, tentem perguntar friamente ao velho louco da taverna/dama misteriosa/pai preoccupado: “Você tem um sobrenome?”.
    Se o mestre demorar mais do q uma fraçao de segundo p/ lhe dizer qual é, a quest provavelmene não era muito importante.

  7. 28/03/2010

    Wow, não sabia que tu jogava RPG. xD Tem de todos os gostos mesmo entre as GoW ein!

    Estou jogando uma campanha atualmente, com os amigos, mas é quase um inferno porque estamos usando ela pra gerar conteúdo pro TCC da faculdade. O_O E ainda pusemos na história nossos personagens principais de histórias pessoais nossas. xD

    • 28/03/2010

      RPG no TCC da faculdade? Nossa essa é nova pra mim! Se der, quando estiver pronto, depois gostaria de ver! ^^

      • 28/03/2010

        Pois é, vai ser stressante e vai terminar só final desse ano, mas a gente também vai se divertir pacas até lá. xD

  8. Ally
    28/03/2010

    Caramba Vivi! Você me ama heim?!

    Que ódio que você tem contra Paladinos! Hahaha!

    Deve ter algum motivo heim…você andou apanhando muito de Paladinos ao longo dos seus RPGs! Ahuahauhuahauhauah!

    Eu sempre gostei de jogar de Paladino. Acho a melhor classe dos RPGs. Pow…o carinha tem bastante defesa e vida, com o poder de cura fica imortal, e ainda tem poderes divinos fodões para lutar contra as criaturas das trevas! \o/

    Necromancer é interessante…mas nunca me dei bem com Necro…alias, nunca me dou bem com nenhum tipo de mago em nenhum jogo. Ô bixim fraco que morre rápido viu?!

    Odeio magos! Ta certo que eles tem um monte de poderzinhos que fazem coisas interessantes e que dão bastante dano, mas eu não dou bola pra isso porque…sei lá…não me acostumo a ficar correndo e batendo de longe jogando pupurina nos bixos até eles morrerem. Não é o meu estilo.

    Eu parto pra cima com minha espada e escudo a bato de frente com qualquer bixo que aparecer! Que venham me peitar! Um Paladino NUNCA cai! Morramm monstros da escuridão! AHuahuauahuahu!
    Bom, eu parto pra ofensiva, mas sempre com estratégia defensiva. Hehehe!

    Já magos quando partem pra cima viram presunto fatiado. A não ser que sejam muito fortes. Mas não tenho paciencia pra ficar correndo dos bixos o jogo inteiro até ficar fodão e adquirir um alto nível no escudo de mana e pegar a magia “Chuva de Meteoros Infernal” que da um grande dano e mata todos os bixos em área.

    Mas enfim, adorei o post! Ri muito! Ahuahauhauhauahu!

    Faça mais Crônicas/Divãs Vivi! ;)

    • Heishiro Mitsurugi
      28/03/2010

      “Que ódio que você tem contra Paladinos”

      Não é somente a Vivi, eu também compartilho este ódio. Como eu digo aos meus amigos, está em dúvida em escolher alguma classe para algum jogo? Escolha paladino, se ele não for o melhor é o segundo melhor.

      Observe os Paladinos nos jogos, Diablo, World of Warcraft, Ragnarok, Warcraft, DOTA, nem o Guilty Gear escapa, o Ky Kiske que o diga.

      Paladino sempre foi e sempre será desequilibrado. O porquê eu não sei, se repararmos a história que geralmente cercam os Paladinos nos jogos, eles são uma adaptação de Cavaleiros Templários para o virtual, e os Templários foram os guerreiros mais fracassados da história mundial, observe todas as Cruzadas.

      Bom acho que chega, senão vou escrever um artigo completo contra Paladinos.

    • 28/03/2010

      “você andou apanhando muito de Paladinos ao longo dos seus RPGs”

      ahahahaha… os paladinos são os primeiros que caem diante de meu poder demoníaco! muauhauhauahuahaa…

      ^^

      Gosto de jogar com personagem que tenha magia e que lute um pouco com armas tb. por isso amo jogar de Druida.

      Mas na falta dele, um Battle Mage ou um Arcane Warrior valem tb! =D

    • Fabão Estácio
      29/03/2010

      Não, magos em niveis elevados adestram tarrasques e comem asas de dragão vermelho ancião fritas no café da tarde…

      apesar disso, o qmais gosto de jogar é ladino e bárbaro….
      ladino-> é sempre aquele q nunca se f***
      barbaro-> é aquele q sempre se f***, mas antes disso fode com toda a torcida du curintia antes….

  9. 28/03/2010

    Velhos tempos de RPG de mesa,Vampiro a mascara?Quem já jogou?eu já joguei de Malkaviano e Tremere,Malkavianos são os mais legais.

    O que falar de The elder scrols Oblivion….AH como eu sorri quando matei o “fã” jogando ele no fundo de um abismo…

    Ally,Paladinos não são “chatos” eles só são …previsíveis
    e …oque acontece caso o seu DEUS vire um bixo papão?xau poderes, e se ele for o vilão principal da historia?=x é…triste =x

    “Já magos quando partem pra cima viram presunto fatiado” Warlocks do WoW .-. tem Hp semelhante a do Paladino,e antigamente …era a classe mais apelona do jogo…pena que hoje é os Paladinos u.u ,maldita Luz x.x
    ))((
    (@-@) _
    ( ¬)¬ <<<_D
    / \

    Undead spell caster =3 ,It's a Undead =x

    ————
    Quem aqui joga,ou já jogou Magic the gathering?

    escrever coisas randomicas é bom n?

    ————
    …OMG RPG de Batman,deve ser louco =x (ou não)

    • 28/03/2010

      “Paladinos não são “chatos” eles só são …previsíveis”

      por isso que p mim são chatos. odeio personagem clichê que vc já sabe exatamente o que esperar.

      em Vampire jogava de Ravno, Tsimize e Tremere.

      é claro que os magos vão cair igual papel se confrontados de frente! é por isso que esses usam ranged attacks e são colocados lá traz no campo de batalha, as vezes até um pouco antes dos arqueiros. eles foram feitos para devastar um exército inteiro com uma magia e não para lutar de espadinha (exceto os arcane warriors rs) ^^

      • 28/03/2010

        gostava de jogar com Tzimisce pra ficar retorcendo as pessoas! ahahaha… XD

      • 28/03/2010

        Eu gostava de jogar de ladino, mas qualquer personagem sem magia e bastante ágil faz meu tipo. E neutro, gosto de pensar por conta própria não ter que salvar o mundo pela minha ética ou sair por aí sadicamente matando. OoO

        Outra, meus personagens geralmente têm a personalidade do Ikki de fênix! =D

    • PH!
      28/03/2010

      Malkavianos são legais. Mas as vezes até atrapalha a campanha: é dificil encaixar um q tenha pelo menos um objetivo em comum com o grupo.

      E eu já joguei Magic. Nunca fui bom, jogava com o deck e um amigo, mas é muito massa. Adoro as ilustrações. E deck vermelho owna!

  10. 28/03/2010

    Porque ser um Hippie,se você pode ser um Malkaviano xD

  11. 28/03/2010

    http://www.lfgcomic.com/page/253

    Exemplo perfeito de Chaotic evil

    • 28/03/2010

      ahahaha… já tinha visto esse warlock. inclusive já postei sobre essa animação aqui no blog! ^^

      • DD
        29/03/2010

        aonde vc .-. postou ? ele tem musica ,xD youtube ,when richard is evil =o xD

  12. Marcello Lestevek
    28/03/2010

    RPG é simplismente uma second life, tu sente, tu odeia, tu gosta, tu entra no personagem. Maaaaaaaaaaaaans, tem um porém! Nem sempre o que odiamos é ruim e nem sempre o que gostamos é sorvete de flocos. Então complementando e trazendo do alem o assunto sobre Paladin, me vejo obrigado a dizer que se não fosse por tal classe, TODO RPG seria desequilibrado, o porque? Bom, vocês jogam RPG também, tem inteligencia suficiente para saber o porque. (noooooooooooooooossssssaaaaaa)

    haha eras isso, fiquem com deus!

    by: Marcello Lestevek

  13. 28/03/2010

    as vezes é pq ele resolver provar a nova fórmula e se corroeu pelo caminho! hihihi… XD

  14. 28/03/2010

    eu não conheço esse game ,mais aicho divertido embora seija muito radical e complexo tambem .
    eu gostomais de robotica porem nunca tive oportunidade de ver um
    pessoalmente.
    parabens vc é muito intereçante bjs.

  15. PH!
    28/03/2010

    Puxa, deu até saudade do meu tempo de bom e velho RPG de mesa. Antes eu até era tímido, mas descobri a minha veia artistica interpretando personagens em RPG´s. Aliás, o meu propósito nao era evoluir ou pilhar-matar-destruir, era simplesmente se divertir pensando ser outra pessoa (tb tentei na macumba, mas não me adaptei!) :P

    Um causo q aconteceu com o nosso querido jogador Rafael Alukard (Um Brujah muito mau humorado), numa partida de Vampire:

    Mestre: – Bem, o chefão filho-da-peta q vcs caçaram por tanto tempo, depois de uma intensa batalhas de 2 horas, está incapacitado diante do grupo.

    Grupo: – Vamos aproveitar e extorquir dele a informação sobre a fonte do poder etern…

    Alukard interrompendo o grupo: – Mestre, descarrego minha glock nele.

    Grupo boquiaberto: – …

    Mestre q gosta de ver o oco: – Vc tem certeza disso? Então tá. O chefão morreu perfurado por suas balas.

    Alukard: vou descarregar minha outra pistola (ui!) nele.

    Mestre: – Er… bem, ok. Vc está atirando sobre um cadáver deformado. E chega de tiro! Suas balas acabaram!

    Alukard: Então começo a dar coronhadas nele.

    Mestre: – …

    Alukard, com uma medonha expressão: E agora começo a dar cabeçadas nele! MUAHUAHAUHUAAA!!!!

    Nessa hora o mestre, preocupado, se levanta da cadeira, vai até o Rafael e lhe dá um abraço apertado com direito a tapinha nas costas, dizendo:

    – Calma… tudo vai ficar bem, já passou… isso é só um jogo…

    • Fabão Estácio
      29/03/2010

      uhauhauhauhauhauhauhauhauhaaaaaauahuhaauhauhauhauhauahuahauhauhauhauahuahuahauhauhauahuahuahauhauhauahuahauhauahuahuahauhuhauhauhauhauhauhauhauhauhaaaaaauahuhaauhauhauhauhauahuahauhauhauhauahuahuahauhauhauahuahuahauhauhauahuahauhauahuahuahauhuhauhauhauhauhauhauhauhauhaaaaaauahuhaauhauhauhauhauahuahauhauhauhauahuahuahauhauhauahuahuahauhauhauahuahauhauahuahuahauhuhauhauhauhauhauhauhauhauhaaaaaauahuhaauhauhauhauhauahuahauhauhauhauahuahuahauhauhauahuahuahauhauhauahuahauhauahuahuahauhuhauhauhauhauhauhauhauhauhaaaaaauahuhaauhauhauhauhauahuahauhauhauhauahuahuahauhauhauahuahuahauhauhauahuahauhauahuahuahauhuhauhauhauhauhauhauhauhauhaaaaaauahuhaauhauhauhauhauahuahauhauhauhauahuahuahauhauhauahuahuahauhauhauahuahauhauahuahuahauhuhauhauhauhauhauhauhauhauhaaaaaauahuhaauhauhauhauhauahuahauhauhauhauahuahuahauhauhauahuahuahauhauhauahuahauhauahuahuahauhuhauhauhauhauhauhauhauhauhaaaaaauahuhaauhauhauhauhauahuahauhauhauhauahuahuahauhauhauahuahuahauhauhauahuahauhauahuahuahauhuhauhauhauhauhauhauhauhauhaaaaaauahuhaauhauhauhauhauahuahauhauhauhauahuahuahauhauhauahuahuahauhauhauahuahauhauahuahuahauh isso foi épico…. to chorando aqui….

  16. PH!
    28/03/2010

    Sidequest realmente são um saco. O pior de tudo é q eu dificilmente consigo ignorar uma delas. Fico pensando “vai q nessa tem um item bom”. Aí depois de perder tudo numa batalha épica e ficar só com a tanguinha de Dragon Age, recebo por minha valentia um novo par de meias. O pior é a vou ter q tomar o caminho de volta para a quest principal (e os monstros vão renascer misteriosamente!)

    • 28/03/2010

      a side quest mais broxante da minha vida aconteceu no primeiro Fable, pra PC. Vc passa a merda do jogo todo (eu disse – durante o jogo TODO) colhendo pistas que vão te indicar onde está enterrado um suposto tesouro f*dástico e quando vc acha…. vc tem vontade de matar quem criou esta bosta de quest!!!!

      • PH!
        28/03/2010

        Ah, eu nem fiz essa quest (tava sem paciencia pra zerar, e faltava um maldito mapa q nao consegui encontrar). O q era o premio? Dá uma spoilada básica aew :P

        • 28/03/2010

          *ATENÇÃO – SPOILER ABAIXO*
          .
          .
          .
          .
          .
          .
          .

          “O q era o premio?”

          – uma frigideira com a marca da cara de alguém. ¬¬

          • 28/03/2010

            Wow! Isso que é prêmio brochante. u_u Sidequests que valem à pena, com certeza, são as de Chrono Trigger, que reforçam a história e dão prêmios realmente bons ao final. xD

          • Darth Gama
            28/03/2010

            Tb fiz essa sidequest e até hoje não consegui captar qual era a daquela frigideira. kkk

          • PH!
            28/03/2010

            …… mas hein?

            Depois do correr o mundo inteiro atras de pistas, chegar no final e ganhar uma FRIGIDEIRA? E eu nem sei cozinhar!

            Pelo menos eu ia rir muito da minha propria cara (assim como os criadores de Fable devem estar até hoje rindo da nossa cara). Mais divertido q ganhar um item fraco.

          • PH!
            28/03/2010

            Tb lembrei de outra sidequest de Fable:

            SPOILER ABAIXO (sei q vc vai ler de todo jeito, mas nao diga q nao avisei)
            .
            .
            .
            .
            .
            .
            .
            .
            .
            .
            .
            .
            .

            Se me lembro bem, tinha um velho q queria arranjar um marido para a filha dele, e pedia para q vc mudasse seu estilo para q agradasse ela. Depois de um corte de cabelo ridículo e umas tatuagens toscas q o velho ia escolhendo, no final ele dizia q nao tinha filha alguma, e só queria zuar com a sua cara. O uniko premio eram os cartoes de estilo q o velho te dava. Agora nao lembro se dava pra matar esse velho (eu lembro q tentei enfiar uma pexera no bucho dele!)

  17. PH!
    28/03/2010

    Acho q um comentário meu de 1 metro sumiu! T-T

    Deixa pra lá, tô com preguiça de digitar de novo…

    Alguem aí tem um causo engraçado de RPG de mesa? (se vc jogou, COM CERTEZA tem uma estoria boa) Comenta aew!

  18. 28/03/2010

    talves você goste de billiards ou de Aeira Shaiya,vou mandar o endereço e você baicha ai pra ve se gosta.
    http://www.aeriagames.com/
    http://www.terra .com

  19. 28/03/2010

    você tem msn?
    manda o endereço ta.

  20. PH!
    28/03/2010

    Realmente jogar RPG eletrônico é bem mais simples (até hoje não sei criar sozinho uma ficha de D&D!).

    Mas RPG no modo single player quase sempre restringe a sua liberdade, sendo sua unica opção, como a Mestra Vivi citou, dar akela maldita volta no lago. E ainda nos forçam a participar da trama principal (enfrentar o Grande Mago Maligno Malvado do Mal pra salvar o mundo? Mas na hora da minha novela?)

    Os MMORPG´s são os q chegam mais perto de uma certa liberdade. O mundo pode estar se acabando numa guerra épica q dura 230 anos, masmo assim tem fulano coletando cogumelos pra fazer um chapéu mais bonito pro personagem dele. Salvar o mundo sem estilo não rola, né? :P

  21. Victor
    28/03/2010

    “A criançinha catarrenta da Vila Mimosa perdeu o gatinho na Floresta do Capeta Escaldado e quer que você vá buscá-lo?”
    Igualzinho uma quest no Star Ocean 4 depois q vc enfrenta um monte de bicho na Citadel e vai pra vila, mas eu nao sei como entra na floresta ela ta blokeada alguem ajuda? ;p

  22. 29/03/2010

    Eu gosto de uma definição de um clã (brujah ou ravnos acho) sobre os Tremere era algo como : Imagine que alguém abraçou um grupo de nerds de RPG e lhes contou ele eles poderiam fazer aquelas magias de verdade. Esses são os tremeres.

    A má reputação de paladinos é causada por jogadores que só sabem imterpretá-los com um maldito Sir Galahad, um Dom Quixote ou pior, Polyana. Em algum livro da Wizards havia uma frase sobre esse cliché super batido “Lawful good doesn’t mean lawful NICE”.
    Quer dar uma revitalizada nessa classe?

    Imagine a Inquisição Espanhola; um do períodos mais negros da igreja católica. Agora pense que as mulheres sábias, camponeses e judeus inocentes fossem realmente demônios (e diabos), que os padres estavam certos e realmente estavam batalhando as trevas com todos aqueles aparelhos que assustam criancinhas até hoje.

  23. yanpaulo
    29/03/2010

    Aah, o único MMORPG online que eu já joguei (ótima época, até eu deixar de ter tempo e o server em que eu jogava sair do ar) foi WoW.
    Isso é só comigo, ou todo mundo aí sempre tem a impressão de ser mais fraco que todo mundo?
    Eu era um fire mage, me achava até forte, duelei com outro fire mage (!). Eu usei pyroblast nele, tirou 1/4 do hp, e com 1 pyroblast ele ganhou de mim!! E olha que o lvl era igual! =(

    Ainda experimento RPG de mesa algum dia desses. E… quer dizer que RPG de mesa tem história? Se sim, estímulo a mais ^^

  24. DD
    29/03/2010

    cara nada é pior que as fuckin quests de WOW,va ate o outro lado do mundo e volte =x

  25. Nando
    29/03/2010

    Adorei Vivi ^^
    Muito foda,ri mto também,isso tudo não passa de pura verdade,sidequest ja me irritou muito,eu achando que ia ganhar algo de bom e não recebo nada T_T.
    XD

  26. 30/03/2010

    Esqueceu de falar dos “Itens ultra-foderosos aleatórios que aparecem do nada”.

    Em Baldur’s Gate, logo no começo do jogo, tem um grupo de Hobgoblin doidim vei q vc num dá nada que carregam com eles simplesmente uma manopla que deixa sua destreza em 18. Num sistema D&D, 18 é MUITO. Imagina que você tem um paladino, teve que gastar pontos ao fazer este personagem com força, carisma e constituição e tem uma destreza 8 por conta disso, daí encontra, de maneira quase gratuita, essas manoplas?

    E quanto a quests inúteis… experimenta jogar fable, que você verá o quanto de coisa inutil que esse jogo tem. Sério, tem muita quest que você faz e a recompensa é uma coisa tão vagabunda que chega a dar raiva.

    Eu me pergunto como pode ter tanta gente que goste de Fable, especialmente o 2. Jogo danado de ruim.

  27. 30/03/2010

    eita q esse blog anda comendo meus comentarios, mesmo eles sem ter nem links nem palavrões =/

  28. Diga
    30/03/2010

    Aah… como é bom ler outra crônica sua, Vivi. E é sobre RPG! Não sei como você consegue escrever tanta besteira. Besteiras que, de alguma forma, todos nós nos identificamos, como a da história do fliperama do bar do seu tio. Como foi deliciosamente nostálgico ler aquilo. Na verdade, foi aquele conto que me fez adicionar o GoW nos meus favoritos.
    Dou-lhe a maior força quando lançares seu livro autobiográfico.

  29. Murak
    31/03/2010

    Isso me lembra a primeira vez que eu joguei RPG com uma garota. Eu zombei da classe dela e acabei com uma maça entalada na minha cabeça, foi a campanha mais curta de qual já participei…

  30. Lucas
    31/03/2010

    “definitivamente, esta não foi uma escolha inteligente!” isso eh frase do vigilantes do peso kkkk

  31. Krycov
    31/03/2010

    CAUSOS DO RPG DE MESA!! RE RE RE..
    eu tenho dois… vo resumir um aki rapidinho
    Estavams atravessando uma planicei até depararms com um morro ingrime… tava mais p uma muralha… de pouco menos de 50m de altura.. Pericia de Escalada? Sò o Ladino… e lavai ele morro acima p achar uma forma de atravessarmos… o Mestre permite q ficamos na mesa… mas sem dar pitacos… nem ajuda… td mundo em silencio… o Ladino sobe e anda.. anda.. até q acha uma corda… o mestre explica q a corda esta´em bom estado e q eh grande o suficiente para a ponta chegar até o pé do morro… ai q o Gênio tm a ideia… ele procura uma pedra… solta… uma q ele consiga enrolar a corda toda em torno dela… o mestre narra q depois de alguma procura ele acha… ele enrola a corda… ai o mestre questiona… “e então? oq vai fazer agora? o Ladino responde… vou empurrar a pedra para a beira do morro… o DM: tá… e agora? O Ladino: Com os pês empurro a pedra morro a baixo… o DM virou p TODO mundo e disso: Certo… Td mundo fazendo um teste p ver c a pedra q vem morro a baixo vai acerta alguem… RESULTADO: O CLARIGO MORREU com o cranio esmagado..
    O egraçado foi ver a cara de todo mundo jgndo o dado tremendo… no final quase empalamos o Ladino… d verdade…

    O outro foi qnd eu jogando GURPS SUPER HEROES TIREI 3 CONTRA UM ESQUIVA VALOR 4… COM 3D6 HEHEHEHEHEHE… FIZ ATÉ REPLEI DO LANCE

  32. 02/04/2010

    Olha… o foco do RPG de mesa em si, não é a batalha isso é apenas uma consequência, mas como o mestre leva a aventura para um modelo de interpretação dos personagens, como eles irão agir em determinadas situações do dia-a-dia de suas viagens e aventuras, nem tudo se resolve na porrada! Em meus jogos de D&D tiveram aventuras que nós só precisamos usar o diálogo para convencer um inimigo a não fazer algo ou entrar em acordo, pura diplomacia. Tinha aventuras tb que eram apenas pura interpretação, a gente rolava um dado as vezes pra ver se o NPC se convencia com o speech do personagem e nada mais!

    RPG de mesa é muito mais que rolar dados, o mestre precisa criar toda uma atmosfera para prender os jogadores, se não a cada passo vai ser enfrentando algum orc em uma vila, ou kobolds alucinados… e isso se torna massante com o tempo. Outro erro é deixar parecer como MMORPG, ai vc jogou toda a beleza do RPG no lixo! -_-“

  33. 04/04/2010

    O que eu acho mais dificil de se fazer em um RPG de mesa é interpretar o personagem.
    Eu montava meus personagens baseados na minha personalidade, se eu viajasse demais eu sabia que não ia conseguir interpretar (apesar de esse ser o grande barato do RPG), para mentir mais é melhor o online mesmo (apesar de eu nunca ter jogado nenhum).
    Tem uma coisa que eu acho foda é quando eu tenho que fazer um quest obrigatoriamente. No vampiro foi porque “O principe da cidade te obrigou a fazer isso”, ou “Você só vai ter tal coisa se fizer isso”. Geralmente esse tipo de missão é o mais dificil…

  34. Kbeludo
    10/04/2010

    Hahaha! mto show esse post! Me lembrou várias aventuras que jah joguei com amigos.

  35. Eduardo L.
    14/04/2010

    *Usa a carta post que ressucita*

    Descrição- Esta carta faz voltar do cemitério o post comentado, reavivando o mesmo.

    Então, apenas para responder um rapaz que disse odiar paladinos por serem melhor ou segundo melhor, jogo WOW, e sinceramente, você só apanha de paladino se for muito ruim ou for um warrior( que apanha pra todo mundo).
    Jogo de rogue, e se você usar o trinket para sair do stun do pally, e iniciar a seqüência de stunlocks, ele só vai sobreviver porque usara bubble ou loh.
    Atualmente dei freeze na minha acc de wow pq estou me viciando em HON, enquanto não sai o FF14.
    Quanto ao rpg de mesa, lawful good apavora, cleric ftw.

  36. Welington
    07/01/2011

    Alguem me manda um site ond eu possa joga rpg xD

  37. Thuni - chan
    06/07/2011

    Eu desenterrando essa Crônica aqui! \o/
    Desenterrei só pra dizer que eu era [sou, ainda não consegui largar o Origins] muito troll em Dragon Age. Eu sempre conseguia que todos me amassem e [graças aos queridos mods] eu pude fazer com que todo mundo me amasse, incluíndo a nossa querinha Witch of The Wilds que era a do contra master. Na verdade isso não é muito difícil se tu der [aloka] todos os presentes e falar a coisa certa no diálogo no acampamento. Outra coisa que conta bastante é levar as pessoas certas para os lugares certos. Party’s que dava certo pra mim eram: Alistair, Wynne e Leliana, Zevran, Oghren e Sten, e a Morrigan nunca dava certo com nada. shuashuahasa coitadinha, eu adoro ela mesmo assim.
    Eu ri muito na parte final do quest em Redcliffe, quando eu meti uma vuadera na mãe do Connor [não lembro o nome dela] e matei o menino do emcapetado! MUAHAHAHA
    Acho que meu comentário ficou gigante, mas é que quando começo a falar de Dragon Age, eu não paro mais. Mas né, hora de parar, porque se não a Morrigan Disapproves. E eu realmente não quero ser inimiga dela!

  38. Thuni - chan
    06/07/2011

    erros ortográficos e de concordância horrendos no meu comentário, mas né…

Crie uma conta no gravatar.com para colocar sua foto nos comentários.

Sempre que comentar em algum blog com o email cadastrado, aparecerá sua imagem.