inFamous 2: mais um final eletrizante (análise)

Tags: Cole MacGrath, inFamous 2, inFamous 2 análise, inFamous 2 resenha, inFamous 2 review, Sucker Punch

Atenção: o texto NÃO tem spoilers! Podem ler tranquilos.

Geralmente ouve-se comentários variados entre aqueles que jogaram o primeiro inFamous: uns amam e outros nem tanto. Mas independente dessas opiniões, ninguém pode negar que o final de inFamous é surpreendente e, porque não dizer, épico.

Em inFamous 2, exclusivo para PS3, a expectativa a cerca de outro arrasa-quarteirão crescia na medida em que assistíamos todos aqueles trailers com gameplays eletrizantes (com trocadilhos), tempestades de trovões, tornados, golpes que mesclavam fogo e gelo e inimigos do tamanho de edifícios.

Sim, pequeninos herculoides, tudo isso realmente existe (e muito) durante o jogo. Até me arrisco a dizer que os mais hardcores, que preferem já começar o jogo direto no nível mais difícil, vão comer o pão que o diabo amassou com gosto no game – especialmente da metade para o final. A impressão que se tem é que os inimigos vão ficando absurdamente maiores (e mais mother-fuckers) com o passar do tempo.

Eu optei por começar a jogar no nível normal e como Good Cole. Aí vocês podem me azucrinar o juízo perguntando: “(mimimi) ué, mas você não é psycho? Por que jogou de boazinha? (/mimimi)”. Simples, pequeno ser irritante, porque jogar com karma good é mais difícil. Sair destruindo tudo e a todos, sem se preocupar com os inocentes, é beeeem mais fácil – além de mais divertido, mas isso não vem ao caso.

Antes de começar uma nova aventura, o jogo irá importar automaticamente seus troféus do inFamous (se você tiver jogado o primeiro game) e irá perguntar se você deseja continuar sua aventura a partir do seu último karma positivo ou negativo. É legal fazer esse processo, pois você já começa com algumas bonificações extras como um ponto de energia extra, por exemplo. Até quem fim inventaram alguma utilidade para esse monte de troféu encalhado!

Ah, só mais uma coisa em relação à importação dos dados do inFamous. Você precisa ter o primeiro jogo instalado no PS3, não basta ter somente os troféus sincronizados. Digo isso porque tive que instalar o jogo de novo para funcionar a migração.

1) Uma breve passada pela introdução de inFamous 2:

Por que uma breve passada? Simples, porque falar da história do jogo é correr um risco altíssimo de deixar passar vários spoilers sem querer. Então, comentarei apenas a introdução e o resto vocês verão no decorrer das missões principais, ok?

inFamous 2 começa com uma recapitulação do game anterior, explicando quem é Cole MacGrath e como ele adquiriu seus poderes elétricos. A introdução também mostra o que ele deve fazer para salvar o mundo de um monstro conhecido apenas como “A Besta”. Besta essa que, para variar, é maior que a tela e devasta tudo pelo caminho (você pode ver a destruição pelo mapa ao pausar o jogo).

De tempos em tempos você lerá uma mensagem do tipo “The Beast is coming”, com o número de milhas que faltam para seu amiguinho chegar até você em New Marais, cidade onde se passa a aventura de inFamous 2.

Depois dos eventos do primeiro jogo, Cole conhece uma agente da NSA (é tipo um exército nacional) chamada Lucy Kuo. Ela explica que conhece Sebastian Wolfe, um ex-cientista da facção “First Sons” (que aparece no primeiro jogo) e que ele estaria vivendo em New Marais. Segundo Kuo, Wolfe trabalhou no desenvolvimento da Ray Sphere e conheceria uma forma de amplificar os poderes de Cole para que ele pudesse enfrentar a Besta.

É claro que sempre tem alguém afim de colocar água no seu feijão e dificultar a sua vida. E o troll da vez se chama Bertrand, o chefão da milícia que comanda New Marais com a promessa de proteger os cidadãos da ameaça da Besta e, assim, prevenir que a cidade tenha o mesmo destino de Empire City (que virou pó).

Até aqui é onde posso falar sem começar a dar spoilers da história, mas acredito que vocês já entenderam, no geral, qual o seu destino principal né? Dar um jeito de aumentar os poderes de Cole, dar um jeito no tal do Bertrand e seus soldadinhos serelepes e dar um jeito na Besta (chama o exorcista!), que é óbvio que só vai acontecer no final.

Até lá você vai ralar um bocado, mas nem tanto assim, já que o jogo é relativamente curto, acho que é porque estou acostumada com RPGs que demoram uma vida para acabar. Fazendo as sidequests, junto com as missões principais, acredito que não dê nem 20 horas de jogo.

E falando nas missões secundárias…

2) Sidequests: não tem jeito, tem que fazer!

Acredito que um dos maiores desafios de qualquer desenvolvedor de games seja fazer das missões secundárias algo, no mínimo, aceitável e compensador à missão principal. E, tanto no primeiro jogo quanto neste, os produtores de inFamous conseguiram desempenhar esse papel de forma bem satisfatória.

As missões secundárias pipocam no seu mapa na medida em que você avança no jogo e fazê-las agregam alguns bônus à jogatina. A cada sidequest terminada, você libera uma parte do mapa, que antes era controlada pela facção criminosa local e, consequentemente, o número de inimigos naquela área cai drasticamente (mas o que ficam apurrinham a vida!).

Liberar o maior número possível de regiões no mapa vai te ajudar e muito a explorar melhor a área sem o risco de tomar rajadas de tiros a cada 10 passos.

Conforme você for fechando um determinado número de sidequests, você poderá desbloquear preciosos novos poderes para Cole, como a possibilidade de absorver energia mais rápido e adquirir slots para armazenar a energia vital de alguns inimigos, após eles serem derrotados.

Essas energias extras rendem os golpes de área (aqueles que f*** todo mundo) mais “oh hell yes” devastadores do jogo. Use-os com moderação, já que não é sempre que você terá a chance de recarregá-los de novo.

Eventualmente, derrotar alguns inimigos também pode gerar missões extras, que não estavam marcadas no mapa antes. As missões em questão são aquelas coisas chatas de caçar pacotes perdidos pela cidade.

Eu odeeeeeio com força caçar pacotes escondidos! Mas para amenizar um pouco o seu desespero, você poderá consultar uma foto do lugar onde está o bagulho, digo, embrulho contendo algumas preciosas blast shards. Mesmo assim é um porre.

Falando nas blast shards (fragmentos da Ray Sphere) espalhadas pelo jogo, coletar o máximo delas que puder vai ajudar bastante já que, conseguindo um número “x” por vez delas, você aumentará em uma bolotinha elétrica a energia vital de Cole. Mais um ponto a favor da Sucker Punch, que deu alguma utilidade real a esse negócio de caçar bandeirinhas (além de um troféu inútil).

Um extra em relação às sidequests do primeiro game: em inFamous 2 você também poderá jogar missões criadas pelos próprios jogadores (ainda não criei a minha, mas farei em breve!) que aparecem com um ícone verde no seu mapa. Elas podem ser compartilhadas pela PSN também.

Cada uma delas tem um nível randômico de dificuldade e fazê-las (ou não) em nada interfere na campanha principal ou desbloqueia áreas do mapa. No entanto, esta é uma ótima oportunidade para você completar alguns combos necessários para desbloquear novos poderes para Cole.

2.1) Missões de escolha de Karma: conheça Nix e Kuo

Assim como no primeiro título, em inFamous 2 o sistema de escolha de karma irá definir se você, no desenrolar final do jogo, terá desempenhado ações suficientes para desbloquear o final do bem ou o final do mal.

A todo o momento você irá se deparar com escolhas a fazer e como você irá proceder diante delas irá determinar se ganhará pontos para o bem ou para o mal. Por exemplo, ajudar civis que estejam sendo assaltados ou feitos de refém irá te dar pontos para o karma positivo.

Da mesma maneira que saltar de um prédio e provocar um terremoto, com a sua colisão no chão, no meio de uma multidão e matar a todos vai te dar um boost absurdo em karma negativo (mas é muito divertido! ^^).

Algumas missões também são específicas para cada karma. As voltadas para o karma positivo são marcadas em azul e as de karma negativo estarão em vermelho (mais clichê impossível).

Mas em inFamous 2, os karmas estarão mais próximos de Cole do que nunca e, nesta continuação, eles foram personificados na figura de duas mulheres: Nix (karma negativo) e Lucy Kuo (karma positivo).

As duas serão os verdadeiros “anjinho e diabinho” na cabeça do já azucrinado Cole, sempre tentando fazer com que ele tenha alguma ação para o bem ou para o mal. No entanto, você não precisa tentar sempre agradar as duas com receio de que uma delas vá embora caso seja contrariada, isso não é um RPG.

Seja fiel somente ao seu alinhamento e, numa segunda jogatina, teste as missões da mulher do outro alinhamento para ver como é. Não transforme seu Cole num personagem farofa. Só uma dica.

Só para deixar você na expectativa, se aliar a uma delas – em um certo momento – dará a Cole combinações de poderes extras e, além disso, uma das reviravoltas mais surpreendentes no desfecho final da história acontece justamente com elas duas (não, elas não se pegam seu pervertido!) e está diretamente ligada a sua escolha de karma. Não posso falar mais nada sobre isso senão darei um spoiler épico combo breaker.

3) Observações sobre gameplay e inimigos

Quem jogou o primeiro inFamous não terá nenhuma dificuldade em se adaptar a essa continuação. Os controles são basicamente os mesmos e algumas melhorias foram feitas no sistema de distribuição de poderes, além da implementação de uma forma mais rápida para que você possa trocá-los, sem a necessidade de ir ao menu a todo tempo.

O grande barato desse segundo game é que agora seus ataques corpo a corpo foram potencializados com o auxílio de uma arma, acho que o nome é “amp”, criada por Zeke (fiel escudeiro de Cole) que condensa o poder elétrico do protagonista. Essa arma também pode ser aprimorada no decorrer do jogo deixando os inimigos cada vez mais chocados (nossa, essa foi horrível!).

Falando em inimigos, diferente de antes, seus adversários não são somente membros de facções criminosas xiitas, que acham que estão protegendo a cidade. Além deles, você também terá a agradabilíssima presença de monstros mutantes, alguns de 2 metros de altura e outros do tamanho da tela, que cospem gosmas verdes ácidas, tentam te picotar com braços em forma de lâminas, tentam te comer (ui), ou te empalar com estacas de gelo. Muito saudável…

Detalhe importante: esses inimigos mutantes podem aparecer a qualquer momento! Inclusive os grandalhões, já que eles não são chefes específicos. Eles são apenas inimigos desenvolvidos por algum produtor que não gosta de você e que dão muito trabalho para matar.

O mais “legal” é quando eles vêm em combo: os milicianos, os mutantes, os generais e os grandalhões. Todos ao mesmo tempo enquanto você vagava feliz pelas ruas. E não adianta fugir porque eles geralmente vão atrás de você… E eles te alcançam!

Se isso acontecer grite um fuuu… bem grande e vá para o lugar mais alto que encontrar por perto. De lá, seja paciente e vá matando os bichos aos poucos. Ficar no chão nesse momento é pedir para apanhar pra c****.

4) Considerações finais porque já cansei de escrever

inFamous 2 é um must buy para todos que curtiram o primeiro game. Mesmo às vezes o jogo dar a sensação de estar meio repetitivo e massante (especialmente na parte da cidade que está inundada), a trama no geral é muito interessante e, mais uma vez, o final é épico. A pergunta que sempre fica nessas horas é: “será que vai ter um inFamous 3”?

Sinceramente, acho que não precisa. Na minha humilde opinião, a história fechou bem do jeito que foi e qualquer coisa, além disso, vai virar caça-níquel. Vocês vão entender porque eu disse isso quando terminarem o jogo! Hehehe…

- Informações mais específicas sobre inFamous 2 você pode conferir na Wiki do jogo clicando AQUI. Mas atenção, a página está recheada de spoilers. Navegue com cuidado!

Vivi Werneck
Share on Tumblr
Feed do Post
47 Comentários em "inFamous 2: mais um final eletrizante (análise)"
  1. 25/06/2011

    Conheço um ser que pegou o jogo no lançamento e platinou ontem :P

    • Vivi Werneck
      25/06/2011

      Esse ser deve ter abdicado de boas horas da existência social dele para isso! rs

      • 26/06/2011

        Sei não, viu? O primeiro inFamous é um dos mais fáceis de platinar, e pelo que eu tenho lido, o segundo não é lá grandes coisas também. :P

    • The Punisher
      26/06/2011

      Eu também quando fui jogar Mortal Kombat a noite durante a semana e vi um ser que estava conectado jogando inFamous 2.

  2. Demow
    25/06/2011

    Só uma observação, os blast shards no inFamous 1 tbm aumentavam os energi cores, a unica diferença pro 2 é que inves do numero ser cada vez maior pra ganhar um core agora é sempre 20 de cada vez :)

    • Vivi Werneck
      25/06/2011

      ah sim, com certeza. mas para o texto não ficar ainda mais gigante procurei comparar apenas aspectos de ambos os jogos que fossem diferentes, ou que no segundo tivessem sido aprimorados. ^^

  3. 26/06/2011

    Opa, enviei sem querer… enfim.
    Muito boa a análise! Só acho que faltou falar da enorme melhoria de mobilidade em relação ao primeiro jogo.

    (Ainda) Não sei como é o final de good karma, mas o de bad karma também foi épico e acho que você teria que mudar algumas coisinhas no review se tivesse finazilado de bad, haha. Eu não planejava jogar de good por agora, mas fiqei com uma curiosidade enorme e provavelmente vou jogar de novo esse mês.

    Ah! Pelo final que eu vi, espero que tenha continuação sim!

    • Vivi Werneck
      26/06/2011

      Engraçado, tentei escrever da forma mais generalizada possível, independente da escolha de karma, sem citar coisas específicas de cada alinhamento. Fiz isso até para não correr o risco de revelar coisas demais. Por isso que não sei se mudaria alguma coisa do que escrevi jogando de bad karma, mas enfim. Melhor não falar muito pra não dar spoiler. rs

      E outra coisa, você disse uma verdade: melhoram mesmo a mobilidade do Cole. Não havia reparado nisso de imediato porque joguei o primeiro inFamous faz tempo e, realmente, deixei passar esse aspecto. Valeu pela observação! =)

  4. 26/06/2011

    Platinei ontem meu Infamous 2, e amei o jogo. Apesar de seguir a mesma jogabilidade do primeiro, houve melhorias significativas que facilitaram muito a movimentação do Cole (amei aquela corrente elétrica, deu um belo adianto). Os finais são EPICOS, e apesar de querer um Infamous 3, tb acredito que a franquia deve parar por aqui. Ótima análise!

    • Vivi Werneck
      26/06/2011

      “amei aquela corrente elétrica, deu um belo adianto”

      eu já amei o super pulo com o gelinho. isso foi ótimo para fazer ataques de terreno com a amp sem precisar escalar alguma coisa. ^^

  5. Edson Vitor
    26/06/2011

    Eu zerei em 2 dias tava vendo os poderes e agora vou zerar denovo com final do mal.

    Mas eu tambem acho que a historia deveria acabar aqui mesmo.

  6. 26/06/2011

    Só eu que sou a favor de uma cotinuação? Sei lá, pelo final do 1 eu não esperava tanto um 2, mas pelo final do 2 – bad karma – eu acho que vem um 3, sim. Que venha, mas como a Vivi falou, que não vire um caça-níquel. Também não gosto de jogos que tem “episódios” anuais. Quem sabe no PS4?!

  7. Cristiano
    26/06/2011

    2011 nao está sendo um bom ano para o meu bolso.É impressionante a quantidade de jogos must buys que foram,estao e serão lançados esse ano.Infamous 2 nao pode faltar em minha lista,já que sou fã do 1.Vida de brasileiro nao é facil nao :P

    • Bavaro
      27/06/2011

      nem me diga. Eu estou economisando até agora pra comprar o infamous 2

  8. The Punisher
    26/06/2011

    Muito boa Vivi sua análise sobre o jogo, melhor impossível.

    • Vivi Werneck
      26/06/2011

      Obrigada! Fiquei com receio de ter faltado muita coisa, mas estava com medo de escrever demais e soltar algum spoiler. ^^

  9. 26/06/2011

    Bom, eu joguei o inFamous 1 e DAMN, como eu gostei desse game.
    O que eu achei como uma qualidade realmente ruim do primeiro foi o fato de as side-missions se repetirem bastante. Tirando as missões de good karma/bad karma, o resto era muito chato e repetitivo (achar aqueles sinalizadores nos prédios era uma tarefa chata pra caramba). Até hoje o melhor game que eu já vi fazer sidemissions de forma certa é Assassins Creed Brotherhood, na qual cada uma delas tem um mini-enredo e importância para o game, além de ter bastante importância (fazendo elas é possível liberar os personagens do multiplayer).

    Mas bom review de forma geral.

    • LucasVarious
      26/06/2011

      Assassin’s Creed Brotherhood é um ótimo exemplo de missões secundárias…
      Aliás é um ótimo exemplo de quase tudo…
      Obs.Não sabia que para liberar os personagens do multiplayer precisava fazer a missões secundárias,achei que apenas era necessário chegar ao
      nível 50…
      Quando comecei a jogar o multiplayer,já havia feito quase 100% do jogo e só precisei aumentar o nível para liberar os personagens…

  10. 26/06/2011

    Ah sim, temos escolhas de karma ridículas como o primeiro, tipo “conto que sua esposa morreu ou frito ele?” ? XD

  11. 26/06/2011

    Interessante . O primeiro jogo tinha me decepcionado muito , os modos como os personagens se interagem,os inimigos e gameplay repetitivo . Porem mesmo assim continuei jogando pelas decisões entre o bem e o mau e a história que é realmente muiiiito boa. Apesar de ainda acreditar que esse jogo deveria ter existido na época do PS2.
    Mas estou quase dando uma chance para esse inFamous 2 ,criações de missões, inimigos finalmente diferentes etc , eu na verdade iria compra-lo antes de ganhar o inFamous pela PSN.
    Hoje até acho o primeiro um bom jogo ,mas ainda não gastaria nele.

  12. Mih
    26/06/2011

    Ótima análise Vivi ^^

    Achei legal a preocupação que você teve em não dar spoilers,já que ainda existem pessoas que não jogaram nem esse e nem o primeiro inFamous(como eu)xD

    “tempestades de trovões, tornados, golpes que mesclavam fogo e gelo”Praticamente um Avatar da vida xD

    [Off-Topic]
    P.s:Vivi,você já jogou Splatterhouse(tanto o novo quanto a primeira trilogia do Mega Drive)?

  13. Hélio
    26/06/2011

    Bela análise. Particularmente, eu passei batido pelo primeiro Infamous, então sou neutro tanto em relação a ele qto à continuação. Não sei se é bom ou não.
    Achei interessante sua observação sobre a dificuldade: ultimamente tenho evitado ficar jogando os games no modo mais alto (só faço isso com GOW e alguns específicos q me estimulam a isso), pq realmente estressa depois de um tempo. É cansativo ter q morrer 200 vezes a cada luta, às vezes eu só estou a fim de relaxar.
    Sobre o Infamous, ele me lembra o Star Wars The Force Unleashed com seu herói careca e seus poderes de eletricidade. Acho q deve ter sido isso q não me animou a comprá-lo, pois achei FU extremamente caça-níquel e sem graça. Mas se estiver baratinho na PSN, de repente eu ainda dou uma chance pra ele.

    • 26/06/2011

      Acredite …por mais que eu reclame inFamous é infinitamente melhor que the force unleashed.

    • Vivi Werneck
      26/06/2011

      inFamous pode paracer com Star Wars The Force Unleashed só por conta dos poderes elétricos. fora isso não tem mais absolutamente nada haver. outra coisa, o inFamous 1 ainda está d graça pra baixar na PSN pelo pacote “Welcome Back”

      • Hélio
        27/06/2011

        Ah, q bom, então darei uma chance pra ele! ;)

    • Jhun
      27/06/2011

      Também adotei esse estilo de vida. Trabalho demais e quando vou jogar só quero relaxar. Fica chato ficar morrendo tanto em determinados games. O único que rola na dificuldade máxima hoje em dia é a série Call of Duty. Do resto, ó quando as outras dificuldades são totalmente sem graça.

      • Hélio
        27/06/2011

        Pois é, cara, eu atualmente tenho jogado a maioria dos games na dificuldade Normal e, qdo quero algum desafio a mais, coloco no Hard, mas evito Very Hards e Ultra Hards da vida a não ser em alguns games q já estou acostumado tipo GOW. Pois realmente cansa demais, vc demora séculos pra aprender a passar de certas lutas, acaba cansando.

  14. 26/06/2011

    Um jogo que realmente lembra inFamous é Ultimate spiderman.
    E desculpa por não ter dito isso antes; Ótima review Vivi. Irei fechar o primeiro e depois vou pesquisar mais sobre o 2.
    Até que depois que você começa a reconstruir a cidade o jogo vai melhorando de pouco a pouco.

  15. LucasVarious
    26/06/2011

    Uma análise sem spoilers…Aleluia!”Falô muito e não disse nada”(?)
    Mandou bem Vivi.Quero jogar o primeiro ainda,mas vontade é o que não falta de encarar monstros mutantes gigantes…
    Eu só joguei a demo e já gostei muito,na minha opinião esses jogos abertos,sandbox,enfim…são os melhores mas facilmente podem ser mal feitos…
    O que você falou sobre inimigos que aparecem do nada,isso é ótimo!!
    Todo jogo deveria ter essas surpresas…Assim você sempre anda “ligado”
    E acaba com aquele problema de que,antes de entrar numa missão nada acontece…
    Quero muito jogar mas acho que se pegar o InFamous 2,agora,não jogarei o primeiro é nunca…

  16. 26/06/2011

    inFamous 2 é dublado em português certo ?
    Ouvi falar que a dublagem do Coby ficou perfeita . verdade ?

    • Vivi Werneck
      26/06/2011

      a minha cópia do jogo é americana, mas estou curiosa para saber sobre essa dublagem (apesar d preferir jogar com o audio original).

  17. Júlia Oliveira
    26/06/2011

    Na minha humilde opnião inFamous é um jogo chato pra kct, com missões secundárias extremamente repetitivas, a história é até legalzinha, mas deixou muito a desejar. Foi uma grande decepção pra mim, assim como Batman: Arkham Asylum que sinceramente teve os chefes mais ridículos dessa nova geração, era praticamente o mesmo método de acabar com todos (atordoar com o bat-rang e depois enfiar a porrada) e Mafia II, que não prefiro comentar de tanta decepção.
    Por isso, hoje não me deixo levar mais tão facilmente pela propaganda que diz que tal jogo é “o jogo do ano” para evitar esses traumas.

  18. Jhun
    27/06/2011

    Ótimo review Vivi. Joguei um pouco do primeiro InFamous e me amarrei no Cole e seus poderes elétricos. Até aonde eu sei, a história também é muito boa. Ótimo game.

  19. 27/06/2011

    Vixe. Vou pegar o inFamous2 só para jogar em português. Agora sim.
    Tomara que comece mais investimentos nas areas de dublagem de games aqui no Brasil.Seria bom se todo jogo tivesse uma dublagem como no game Black Dhalia .A dublagem era digna de cinema.

  20. georges
    27/06/2011

    Ótima analise!!
    Vou jogar o mais rapido o possivel.

  21. Full Moon
    28/06/2011

    Eu gostei do jogo mas ao mesmo tempo fiquei decepcionado… Pois além das falhas do jogo, no final você é obrigado a tomar uma decisão que não afeta só o protagonista como tambem a milhares de pessoas, e acho que no fim eu não vejo a decisão do Cole como uma decisão heróica.. E o final só me fez questionar: o que é realmente ser um herói ??? mas gostaria de lembrar que gostei da dublagem brasileira do jogo e gostei muito das vozes do Cole, da Nix e da Kuo e do Zeke. Esses personagens tem muito carisma.

  22. .MinduiM.
    04/07/2011

    Estou jogando infanou 2 agora =]
    Achei o primeiro bem mais repetitivo que o segundo título, mesmo assim foi dificil desligar o console.
    Atualmente estou na parte da cidade inundada… e realmente esta parte esta sendo bem massante.
    Estou gostando bastante da série, mas eu achei meio previsivel o final do primeiro jogo. Juro que na primeira aparição Kessler eu cantei a pedra do final do jogo.
    E neste segundo tbm ja cantei a pedra sobre o final… com grandes chances de estar certo… afinal é uma forma de deixar a história redondinha.
    Mesmo eu achando previsivel.. eu adorei o jogo =]

  23. 07/07/2011

    Vivi,

    Parabéns pelo review muito bem escrito e com estilo único! Me diverti muito lendo seu texto. Principalmente as tags .

    Joguei o primeiro Infamous e o considero um dos melhores jogos de PS3. Tudo no jogo é agradável: cenário, movimentos, personagens, poderes, progressão… Para mim, foi um dos melhores jogos Sandbox já lançados, junto com GTA IV, Red Dead Redemption e Crackdown.

    Ainda não joguei o 2, mas tudo indica que vou gostar bastante também. E agora que ele está disponível para download digital, fica ainda mais fácil comprá-lo.

    Um abraço e sucesso para o Girls of War.

    • Vivi Werneck
      07/07/2011

      Obrigada! Fico feliz que tenha gostado da análise e jogue inFamous 2 assim que puder! Bjoss ^^

  24. gabrielz3
    15/11/2011

    eai pessoal já joguei no PS3 do meu primo adorei melhor jogo que já joguei, mas essa semana vou comprar meu PS3, não conheço muito o PS3 me falem alguns jogos no estilo do inFAMOUS.

    muito obs !!!

  25. xamasky
    17/02/2012

    puts, um final de semana é o jogo já era… muito bom, mas curto!!

  26. 02/03/2012

    Gostei da análise, sucinta e completa. Se realmente estende-se ou iria dar um spoiler ou ficaria repetido. O que achei que esse jogo ganhou em relação ao Infamous 1 é o trabalho no gráfico, a textura bem detalhada. Houve uma aumento na vida da cidade. Perdeu-se aquele 1 xp + add karma bom com o pessoal caído no chão como Empire City. Mas este jogo dá uma real sensação de que nem toda ação que se configure como ruim é necessariamente ruim. Gostei. Foi um trabalho bom. E acho que poderia caber um Infamous 3 tranquilamente. Por mim não faz muita diferença se é caça-níqueis. Geralmente muitos jogos como jogos de lutas vem quase iguais de uma versão para outra. Acrescenta um sistema de bônus aqui e ali, um 10 personagens aqui e parece que é obra nova. O que importa é que a fórmula do Infamous deu certo para os dois títulos.

  27. 11/03/2012

    ai…eu zerei o jogo do bem ! vc acha q vale a pena zerar do mal agora?

  28. 04/03/2013

    O que é spoiler?

  29. Hélio
    05/03/2013

    Estou terminando este game agora e gostei muito. Bem melhor do q eu pensava. Resolvi testar as duas decisões no final e vou ver no q dá.
    Ótimo jogo. :)

Crie uma conta no gravatar.com para colocar sua foto nos comentários.

Sempre que comentar em algum blog com o email cadastrado, aparecerá sua imagem.