Jogamos Diablo III: Reaper of Souls (beta)

Tags: Blizzard, Diablo, Diablo III, expansão, reaper of souls

Diablo-3-Reaper-of-souls-topo

Antes de qualquer coisa, ao contrário do que alguns pensaram, gostaria de deixar claro que não vendi minha alma ao Diablo para conseguir jogar esse beta. Mas fico feliz em ter jogado. “Reaper of Souls” é a primeira expansão de Diablo III e traz, como a maior novidade, uma nova classe de personagem jogável: o Cruzado. A nova classe promete matar a saudade dos que gostavam de jogar com o Paladino em Diablo II.

Darei uma versão bem pessoal das impressões que tive desse generoso beta. Generoso porque, para uma versão de teste, eu imaginava poder jogar até um ou dois mapas e não 95% de toda expansão (ela acaba antes de enfrentar o último boss – quase tive um ataque do coração de desespero! rs).

Reaper of Souls começa no Ato V, ou seja, exatamente após os eventos que culminam em você enfrentar o Diablo. Com isso, você só poderá jogar o conteúdo adicional depois de passar por todo o jogo normal. Em relação a tempo de duração? Bom, sou daquele tipo de jogadora xiita que precisa desbloquear cada cantinho do mapa, visitar todas as dungeons e cutucar todos os NPCs para ser feliz. Então… Levei, praticamente, um sábado inteiro para terminar o Ato V disponível no beta.

E, sinceramente, gostei muito do que vi. Mesmo com alguns bugs, que são totalmente aceitáveis numa versão de teste, achei a história mais interessante e o gameplay mais dinâmico. Os cenários oferecem bem mais interatividade e armadilhas brotam em quase todo o canto. Algo que eu não tinha dado tanta importância nos quatro primeiros atos, mas que agora me chamou a atenção, foi a trilha sonora – que muda de acordo com o clímax do momento ou do mapa em que você está. Ah, a possibilidade de encontrar itens raros (e até alguns lendários) aumentou consideravelmente, até mesmo jogando no nível normal.

[No vídeo acima: “No one can stop Death” – A Morte (como debater essa afirmação? rs)]

Reaper of Souls também desbloqueia missões secundárias dos seus seguidores. Você terá a opção, apesar de não ser obrigado, de ajudar o Ladino, o Templário e a Sacerdotisa a resolver algumas pendências na vida deles. A versão beta não mostrou se ajudá-los irá impactar em alguma coisa no final, mas fico na torcida que sim.

Alguns NPCs antigos retornam e você poderá agora também encantar itens com uma espécie de cigana vidente que aparece para te ajudar. A parte do encantamento em si não me encantou muito (tu dum tsss…), no entanto, o que mais me chamou a atenção e me deixou feliz da vida foi saber que, finalmente, poderei combinar o “look” das minhas roupinhas. Isso porque uma das opções de “encantamento” é a possibilidade de alterar a aparência da sua armadura – mas sem mexer em nada nos seus atributos. Chega de andar igual a um palhaço bêbado em Tristam.

A nova classe do jogo: o Cruzado

Recomendo fortemente vasculhar cada gueto e cada caverninha do Ato V já que, em quase todas elas, existem eventos especiais com toneladas de monstros e que – caso você sobreviva – te dá muito loot do bom. Vai por mim! Ah, mas não se empolgue tanto com a quantidade de coisas que poderá coletar, já que não aumentaram a capacidade do inventário do seu personagem, ou seja, você terá que fazer algumas viagens até o acampamento para despachar suas bugigangas.

O mundo em Reaper of Souls:

A derrota de Diablo deveria ter dado início a uma era de esperança. Em vez disso, atraiu uma criatura misteriosa de imenso poder, o arcanjo caído da Sabedoria Malthael, cujo propósito malévolo ainda permanece obscuro. Quem jogou Diablo II: Lord of Destruction poderá se lembrar que ele desapareceu após os eventos finais desse jogo. Em Reaper of Souls, Malthael retorna como o Anjo da Morte e captura a Pedra Negra das Almas, que contém a essência do Mal Supremo. Resta ao Nephalem (ou seja, o seu personagem) tentar derrotá-lo com a ajuda de Tyrael, agora também um mortal.

Outras novidades da expansão:

– O nível máximo subiu até 70;

– Modo Aventura: um novo modo de jogo que oferece a liberdade de ir a qualquer lugar e lutar contra qualquer monstro;

– Caçadas: objetivos aleatórios com recompensas novas;

– Fendas Nephalem: masmorras completamente aleatórias que gerarão jogabilidade infinita e pilhas de saque.

A versão Reaper of Souls Edição Básica já pode ser reservada em formato digital por R$79,90. Os jogadores poderão ainda fazer um upgrade ou adquirir a versão Digital Deluxe Edition, também disponível em pré-venda digital (upgrade: R$39,90; preço total: R$119,90). Diablo III: Reaper of Souls chega primeiro para Windows e Mac no dia 25 de março de 2014 e, em breve, também para PS4 na Diablo III: Ultimate Evil Edition (que inclui Diablo III e a expansão).

– Veja mais detalhes no site da expansão AQUI.

Meu veredicto? Must play! Voltou a dar gosto de jogar Diablo!

Vivi Werneck
Share on Tumblr
Feed do Post
7 Comentários em "Jogamos Diablo III: Reaper of Souls (beta)"
  1. 02/02/2014

    Ótima Review Vivi!
    Aguardando seu próximo Video gamecidio!
    Bjos!

  2. Alessandro Messias
    02/02/2014

    Poxa Vivi vc me animou a jogar diablo novamente, pois depois que terminei o 3 não vi muitos motivos para um replay. Aguardar para voltar a Tristam ^^. e graaaaças ao fim da casa de leilão.
    Assim ótimo review Vivis.

    • Vivi Werneck
      02/02/2014

      Valeu! E joga sim. Eu, particularmente, gostei bastante desse Ato V.

  3. 04/02/2014

    Parabéns pela Review gostei o/

  4. leandro(leon belmont) alves
    04/02/2014

    pegarei quando lançar e valeu o post Vivi.

    ainda chorando pela Lea ;___;

    snif

  5. Luis
    20/05/2014

    muito bom..

Crie uma conta no gravatar.com para colocar sua foto nos comentários.

Sempre que comentar em algum blog com o email cadastrado, aparecerá sua imagem.