Quadrinhos, porque a vida não é só videogame

Tags: American Vampire, Clive Barker, comics, Constantine, Crossed, dica de quadrinho, Garth Ennis, Hellblazer, Hellraiser, HQ, Preacher, quadrinhos, Sandman, Scalped, The Boys, The Walking Dead, Vertigo, Y - The Last Man

Vocês já sabem que o Girls of War é blog de games, certo? Eu também sei disso. Mas faz tempo que ando remoendo, no âmago do meu ser psicótico, a vontade de compartilhar com vocês outra paixão que tenho além dos games (e além do Gerard Butler também, rs): Quadrinhos!

Sempre li muitos mangás, tenho vários deles entupindo meu guarda-roupa até hoje, mas minha paixão por quadrinhos foi bem mais recente, há no máximo uns 3 anos. E por que comecei tão tarde? Porque nunca fui muito fã de histórias de heróis do tipo Superman, Homem Aranha, X-Men (apesar de achar o desenho legal) e por aí vai, e não conhecia bem outros estilos de HQ. É bom deixar claro que não estou dizendo que os tradicionais quadrinhos de heróis das consagradas Marvel e DC são ruins, apenas a mim – particularmente – não agrada.

Foi aí que (pasmem) um ex-chefe gente boa que eu tive, num emprego passado, começou a me emprestar algumas de suas HQs que o mesmo colecionava e ninguém imaginava. Nesta época, descobri o mundo dos sonhos (e que não é a Disney) da HQs da Vertigo. Desde a época em que eu lia mangás, sempre preferi a temática mais madura e adulta (mas não era hentai, pelo amor de Deus!). Não me imagino lendo um Naruto da vida, por exemplo.

The Boys (de Garth Ennis)

Com as HQs não poderia ser diferente e ao saber que a linha da Vertigo tem várias histórias que seguem esse padrão mais adulto, foi amor a primeira lida. Cada leitor de HQ, ou quadrinhos, ou comics (só não chame de “revistinha”, senão terei de matá-lo!), tem um perfil próprio e, logicamente, busca o tipo de leitura que mais se aproxima desse gosto.

Eu, particularmente, gosto de uma boa história de suspense, terror, violência, temas controversos e polêmicos, do “gore” e de algo que te faça pensar no famoso “e se isso acontecesse mesmo? Como eu reagiria?”. Para quem não me conhece e me vê falando de “Crossed” e “Hellraiser” se assusta um pouco, mas como vocês já me conhecem então acredito que já estavam esperando por isso.

Todo esse blá, blá, blá, foi para apresentar a vocês uma lista pessoal sobre as HQs que mais me chamaram a atenção nesse curto, porém expressivo, tempo em que me enveredei por esse mundo. Já peço desculpas adiantada caso haja algum dado incorreto ou que eu tenha esquecido de mencionar, mas estou pesquisando sobre o tema mais a fundo ainda e aprendendo aos poucos.

A lista abaixo cita algumas HQs que já li e recomendo muitíssimo, mas por favor sintam-se livres para sugerir outros quadrinhos, até porque estou caçando mesmo coisas novas para ler e adoraria sugestões!

 

Então vamos ao meu TOP 5:

  

5) Crossed

Autor: Garth Ennis

Arte: Jacen Burrows

Editora: Avatar Press

 

Até onde um autor pode ir no quesito violência explícita, horror e insanidade gratuita? Garth Ennis (um dos meus autores preferidos) literalmente caga, desculpe o termo, para qualquer padrão social, moral, ético e tudo o que for, teoricamente, correto de se seguir. A cabeça maníaca-criativa de Ennis já valeria um post por si só, mas vamos nos ater a HQ em questão.

A história de Crossed (se é que isso existe) pode levar muitos leitores a acharem que se trata de mais uma trama de zumbis. Mas o nosso querido autor psicopata odeia clichês, portanto, ele resolveu inventar uma espécie de situação (que até agora não ficou muito clara) em que o mundo, do nada, sofre um apocalipse e a maioria das pessoas (ainda vivas – bom ressaltar) se tornaram maníacas-psicopatas-esclerosadas-extremistas-nível épico!

Em resumo, os “crosseds” – que foram denominados assim já que os contaminados (com sabe-se lá o que!) apresentam uma ferida aberta em forma de cruz no rosto – se divertem com a tortura gratuita e explícita contra o que for! É comum na HQ cenas de assassinatos a crianças e outros indefesos, estupros, estraçalhamentos de pessoas e animais e todo tipo de violência que talvez você nem imagine que possa existir.

Os poucos que sobreviveram a esse cataclismo precisam se esconder e tentar viver mais um dia. E é isso. Claro que esta HQ teve uma polêmica inimaginável por cima e se vale mais pela riqueza de detalhes da arte de Jacen Burrows do que o enredo em si. Não recomendo a leitura para aqueles que têm algum tipo de problema com brutalidade explícita, muito menos a quem se impressiona fácil.

– Mais informações AQUI.

 

4) Y – The Last Man

Autor: Brian K. Vaughan

Arte: Pia Guerra

Editora: Vertigo

 

“O último Homem”, como chegou intitulada esta HQ aqui no Brasil, conta a história fascinante de Yorick Brown – o único homem que sobreviveu a uma espécie de praga que varreu todos os mamíferos do sexo masculino do planeta. Este seria, talvez, o sonho de consumo de muitos homens não é? Pois bem, só que não é bem assim que acontece.

Yorick e seu macaco de estimação, Ampersand, são os dois únicos machos que restaram no planeta e ele não faz ideia do porquê de ainda estar vivo. Em busca de descobrir o que aconteceu e tentar salvar a humanidade da extinção iminente, a mãe de Yorick – que é uma congressista norte-americana – envia uma agente secreta, conhecida apenas como “355”, para proteger seu filho enquanto ambos buscam a ajuda da conceituada médica e geneticista, Doutora Mann.

Recomendo muito esta HQ e, da minha lista sanguinolenta, está a mais “light” para os meus padrões, mas com certeza é uma excelente leitura.

– Leia uma análise que fiz para o blog do meu ex-chefe sobre Y – The Last Man.

– Mais informações AQUI.

 

3) Hellraiser

Autor: Clive Barker

Arte: Jesus Hervas e Janusz Ordon

Editora: BOOM! Studios

 

Acredito que a maioria de vocês deva conhecer a série de filmes de terror “Hellraiser”, que chegou ao Brasil com o nome de “Renascido do Inferno”. Os filmes fizeram muito sucesso no final da década de 80 e durante a década de 90 ao mostrar o mundo distorcido da dor e do prazer dos demônios sadomasoquistas conhecidos como “cenobitas”. Eles eram chamados para o nosso mundo por quem tivesse a infeliz ideia de resolver um puzzle, em forma de uma pequena caixa, chamada de “A Configuração do Lamento” (The Lament Configuration).

Como “presente”, o miserável que abrisse o portal do inferno para os cenobitas, liderados pelo lendário Pinhead, era “delicadamente” levado por eles para os confins dos infernos onde a pessoa seria dilacerada, distorcida e torturada pela eternidade. No entanto, o baixo orçamento, os defeitos especiais e o enredo confuso dos filmes não deram o mérito merecido à mente brilhante do criador da série, Clive Barker.
*
Já a HQ “Clive Barker – Hellraiser”, que possui 20 volumes já lançados, leva a série a um outro patamar de narrativa. Agora, a ex-vítima de Pinhead, Kirsty Cotton (que aparece bem nos dois primeiros filmes), trava uma batalha pessoal contra o cenobita – a fim de destruí-lo de uma vez por todas. Ela só não contava que Pinhead tinha uma carta na manga para usar essa vingança contra Kirsty. Vale muito a leitura, mas é bom lembrar que esta também é uma HQ bem “gore”, mas não tanto quanto Crossed – por incrível que pareça!
– Mais informações AQUI.

 

2) The Walking Dead

Autor: Robert Kirkman

Arte: Charlie Adlard e Cliff Rathburn

Editora: Image Comics

 

A série de TV “The Walking Dead” se tornou um sucesso incrível ao adaptar (mesmo com muitas alterações) a HQ de Robert Kirkman. O que mais impressiona no quadrinho, que ainda não acabou e é lançado mensalmente, não é mais uma história de zumbis, mas sim uma história sobre pessoas. E, principalmente, das emoções das pessoas e como elas reagiriam numa situação onde fossem extraídas de toda “zona de conforto” que possuíam.

Como você agiria numa nova realidade mundial onde a ordem não mais existisse, onde não houvesse mais leis, parâmetros a se seguir e sociedade? Iria se isolar? Cairia em desespero e se entregaria, ou acabaria com a própria vida? Ou iria se reunir em grupos para tentar sobreviver e, assim, correr o risco de ter que confiar num estranho que te mataria se fosse necessário?

Todas essas questões ficam tão em evidência na HQ que, às vezes, o fato de existirem zumbis – ou “walkers” como eles chamam no quadrinho – passa a ser um mero detalhe. Os mortos já se foram, agora é hora de se preocupar com os vivos!

– Leia uma análise que fiz sobre The Walking Dead.

– Mais informações AQUI.

 

1) Preacher

Autor: Garth Ennis

Arte: Steve Dillon e Glenn Fabry

Editora: Vertigo

 

Esta, que talvez seja a grande obra-prima do insano Ennis, é uma das melhores histórias que já li numa HQ. Mais uma vez, o autor brinca com os padrões da sociedade só que agora mexendo num verdadeiro vespeiro e fomentador das piores discussões e conflitos da história: a religião.

Em Preacher, você conhece a história do pastor Jesse Custer – de uma pequena cidade no Texas. Durante um dos seus cultos, inexplicavelmente (isso no início da HQ, mas depois você entende melhor) uma grande bola de luz explode na igreja, queimando vivo todos os que estavam presentes e deixando apenas Jesse vivo e intacto.

O pastor percebe, então, que está diferente e que agora possuiu o poder de fazer com que as pessoas façam exatamente, e literalmente, tudo o que ele ordenar. Em outras palavras, Jesse agora possui o “dom da palavra” – o que o equipara ao próprio todo poderoso, ou seja, Deus.
*
Jesse passa a ter visões do que poderia ter acontecido e descobre que Deus desistiu e abandonou a humanidade a própria sorte e, assim, o pastor começa sua missão com o objetivo de encontrar o próprio Deus e tirar satisfações. Pelo caminho, ele reencontra sua antiga namorada, que é uma assassina de aluguel, e conhece um vampiro irlandês que se une a causa. Obviamente, Deus sabendo do perigo que Jesse representa a sua onipotência e temendo seus avanços, coloca em seu encalço o lendário assassino “Saint of Killers”, que é um sujeitinho muito, mais muuuito tenso.
*
Não posso me alongar muito para não dar spoiler, mas recomendo muito a leitura!
– Mais informações AQUI.
*
*
Menções honrosas (mas que valem muito a pena ler também!):

The Boys

American Vampire

Scalped

 

O que estou lendo atualmente:

Hellblazer – Constantine

Sandman

 

Algumas fontes legais para ler HQs:

Comixology (pelo site ou aplicativo em tablets)

Dark Horse Comics (pelo site ou aplicativo em tablets)

Amazon (para quem curte comprar a revista mesmo no papel – a entrega não demora muito, pois agora a loja trabalha com transportadora particular).

Vivi Werneck
Share on Tumblr
Feed do Post
41 Comentários em "Quadrinhos, porque a vida não é só videogame"
  1. Charles Junior
    05/12/2012

    Excelente post, procure também por Fábulas, uma HQ da Vertigo que fala sobre contos de fadas vivendo no mundo real, muito boa essa sacada. As revistas Dark da DC pós-reboot estão ótimas também, Eu, Vampiro e Monstro do Pântano principalmente.

  2. Amyr L.
    05/12/2012

    Vertigo é vida! Também não gosto de HQs de heróis, mas curtia os desenhos animados baseados nelas. Amo gore, temáticas adultas, mindfucks e violência. Falando em depravamento, já leu o Mangá Ichi the Killer, Vivi?

    Quanto ao sistema de entrega o Amazon, tenho minhas dúvidas. Pedi o Box com os sies volumes de Scott Pilgrim em Março desse ano e o maldito só foi chegar em junho, tempos depois de eu já ter esquecido da existência dele. Mas foi uma surpresa agradável rs

    • Vivi Werneck
      05/12/2012

      “Falando em depravamento, já leu o Mangá Ichi the Killer, Vivi?”

      Ainda não, mas valeu a sugestão!

      Desses mangás violentos eu já li o excelente Battle Royale.

  3. Lipe
    05/12/2012

    Mt bom post. Bem ‘gore’.
    Esse Battle Royale tem filmes. Já assistiu a eles, Vivi?
    Recomendo vc a continuar com estas postagens, pois gostei muito!
    Recomendo V for Vendetta, Sin City, Spawn e Batman. Também achei bacana as de Halo e Street Fighter. Històrias fantásticas!

  4. PH!
    05/12/2012

    Boas sugestoes. Me interesseim muito em Crossed, vou procurá-lo. Um dos poucos quadrinhos da DC que realmente vale a pena é Batman: Dark Knight. Death Note tb é uma trama policial ótima.

  5. Alessandro Silva
    05/12/2012

    Muito legal o post vivi!
    Curti!

  6. Gabriel
    05/12/2012

    Melhor de todos esses aí… SANDMAN! Absuuuuurdo de bom.

  7. leandro(leon belmont)alves
    05/12/2012

    eu conhecia esse Jesse Cutter. a história dele de descer a porrada em Deus…o cara tem culhões!! e tem ou tinha como amigo imaginário o Jonh Wayne. pelo menos o cara tem bom gosto para amigos, certo.

    Constantine detona, sem mais!

  8. The Punisher
    05/12/2012

    Boa Vivi, enfim um post diferente que vai além de games, mesmo que games e HQs e/ou Mangás sempre tiverem ligação e, como o próprio Avi Arad chegou a dizer “Os games são os HQs de hoje”.

    Vivi, vou te recomendar três que estão entre as que eu gosto:

    SPAWN
    LADY DEATH
    WITCHBLADE

  9. The Punisher
    05/12/2012

    Ah! Acabei de me lembrar..falando em Garth Ennis e Witchblade, foi o Garth que escreveu a minissérie Witchblade: Era das Trevas onde ela se encontra com o Spawn Medieval (Medieval Spawn) e os dois agem juntos.

  10. 05/12/2012

    Muito bom! Meu top 5 é:

    1)Sandman: Obra prima de Neil Gaiman. Se você não leu, então você é uma pessoa incompleta.

    2)Lobo Solitário: Um must have para qualquer fã de mangas, mas que tem uma pegada muito mais clássica. Na verdade, é registrado como o “primeiro manga” publicado de forma comercial. A história abrange o período feudal do Japão, e tem como protagonista um Samurai solitário e seu filho.

    3)Silent Hill: Muitos não sabem, mas houve uma pequena série de quadrinhos com base na universo de Silent Hill. E como eles foram lançados no ápice da série, com o lançamento de Silent Hill 2 e a pré-produção de Silent Hill 3, espere por um material bem mais intenso e que tira o melhor proveito possível da trama envolvendo a bizarra cidade.

    4)Gen Pés Descalços: Não só uma história em quadrinhos, mas um tratado histórico sobre a queda das duas bombas em Hiroshima e Nagasaki. Mostra um ponto de vista histórico diferente, abordando como algumas pessoas sobreviveram ao ataque, as consequências a longo prazo e a luta pela sobrevivência do personagem principal. Muito bom.

    5)Maus: Tente imaginar a segunda grande guerra interpretada por ratos e gatos. Trata-se de uma interpretação livre sobre o Nazismo e sua influência durante o período de tensão da época. Vale muito a pena dar uma lida, nem que por curiosidade.

    Também recomendo Black Hole, que é dividido em dois livros encadernados, e qualquer outro quadrinho do Crumb. Ele sim, é um verdadeiro mago dos quadrinhos americanos clássicos. Se lembrar de mais eu posto aqui :P

  11. Raul Mosanio
    05/12/2012

    VIVI gostei muito do post,eu também tenho uma paixão por HQS além de games,Mangás,etc.
    Um HQ que também é da vertigo é o HellBlaizer (eu recomendo). Esse HQ narra Histórias de John Constantine na luta contra os demônios que agem na terra.

  12. Leonardo
    05/12/2012

    O post está muito bom e sempre traz uma lufada de ar fresco ao blogue – não que me canse de videojogos, mas é sempre interessante ler/discutir sobre outras coisas.

    Lia na infância porque me ofereciam, sendo a maioria (e mais vendidas cá em Portugal acho) da Turma da Mónica (meu primeiro contacto com a cultura brasileira) e o resto de super-heróis. Hoje em dia não leio de todos bd’s (nunca li animes), simplesmente porque o hábito não foi da minha iniciativa e como na altura em que comecei a deixar de receber/ler foi quando pedi aos meus pais um GB Color, então nem sequer olhei para trás.

    PS: como gostava do Batman mas não percebia na altura o porquê da sua filosofia (assim como a de outros, senão todos, os super-heróis) de não matar os inimgos , então achava uma porcaria tantos confrontos aparentemente inúteis! -.-

  13. Eu
    05/12/2012

    Li poucos, mas se tem um que recomendo de olhos fechados é Maus. É sobre o nazismo, visto de um ex prisioneiro. Baseado em estória real, o autor, filho do protagonista, desenha de um jeito que passa muito bem o clima do que aconteceu. E, pra melhorar, ainda tem uma série de diálogos engraçados.

  14. 05/12/2012

    Já leu Gantz Vivi? É bem interessante também.

    • Vivi Werneck
      05/12/2012

      Estou anotando todas as sugestões de vocês! Quem sabe não role posts futuros sobre essas novas leituras. Valeu! =)

  15. arcano
    06/12/2012

    sandmam, Hellblazer, Os Invisíveis,Promethea,berseker,Claymore sua cara vivi. da velha guarda Elric de Melniboné,Soul Eater unico manga que o autor conseguiu transpor uma característica pra cada personagem um psicotgico outro depresssivo narcisista e por ae vai genial o enredo
    lobo,tanos em busca de poder , ok abraço

  16. 07/12/2012

    Adorei Y – TLM e Preacher, sem comentários.
    TWD já acompanhava e não gosto muito da história de Hellraiser.
    Agora Crossed eu to procurando via torrent, alguém ai já conseguiu encontrar?

  17. Driscoll
    07/12/2012

    Destas HQs citadas no post já li The Walking Dead e Preacher, ambas são excelentes, pricipalmente Preacher no qual considero a melhor de todas.
    Walking Dead está sendo uma excelente franquia, tudo o que está sendo gerada por ela é fantástico, principalmente o adventure da TellTale.
    Uma recomendação de leitura seria Transmetropolitan http://en.wikipedia.org/wiki/Transmetropolitan

  18. Mateus Salvador
    08/12/2012

    Depois que eu comecei a ler Sandman, eu nunca mais li uma HQ do mesmo jeito. A genialidade do Neil Gaiman é impressionante.

  19. Everton Melo
    08/12/2012

    Vivi, se vc gosta do Garth Ennis, também deveria dar uma olhada na HQ Jennifer Blood, que tb é uma HQ muito boa. E se vc gosta da temática medieval, eu recomendaria Vikings, lançada pela Panini na revista Vertigo. Também recomendo Julia Kendall: Aventuras de uma Criminóloga, uma HQ italiana com histórias com bastante suspense.

  20. Lipe!
    08/12/2012

    WE3, só digo isso: WE3.

  21. Lipe!
    08/12/2012

    Aliás, Vivi, tu não acha Y-the last man uma história sexista? tem um vídeo duma garota argumentando isso.
    Achei estranho você citar Y-the last man, inclusive. Uma obra boa do mesmo criador de y, salvo engano, é Ex Machina. Muito lindo <3

  22. 08/12/2012

    Lipe! De certa forma vc tem um pouco d razao a respeito d Y. Mas isso nao impede q a Hq tenha uma historia otima e um desfecho emocionante. De sexista mesmo achei mais o The Boys, q tb é bem interessante d se ler.

    • Lipe!
      10/12/2012

      Pois é, eu vou inclusive procurar esse vídeo pra colocar aqui.
      Não li The Boys ainda, mas fiquei ao ler você dizendo que The Boys é ‘mais’ sexiste que Y-The Last man.
      Em todo caso, vou procurar por essas hq’s, estou muito interessado nelas.

      No mais, reiterando: WE3. <3

      • Lipe!
        10/12/2012

        Fiquei surpreso*

  23. 09/12/2012

    Ah, e Vivi, a HQ de The Walking Dead não tem em português, né? Acho que nem foi lançada por aqui… Como você fez pra ler? Será que poderá chegar nas bancas aqui do Brasil em breve?

    • Vivi Werneck
      12/12/2012

      Eu leio online, mas li as primeiras revistas no papel mesmo. Tem em português sim.

  24. A.
    12/12/2012

    Ótimo post. Você tem um ótimo gosto para Hq’s. Sugiro que leia “Gantz” e “Zetman”, dois ótimos mangás, ambos violentos e depravados… kkkkkk
    Uma HQ excelente é “Apenas um Peregrino”, do Ennis Também. Alias, todos os trabalhos do Ennis são excelentes.
    ^^

    • Pedrinho
      15/12/2012

      “ambos violentos e depravados…”

      Ui, quanta maudade ! isso é falta de deus no coração , só pode HAHAHAHAHA

  25. Fernando Landeira
    14/12/2012

    Parabéns, Vivi, por mais um belíssimo trabalho. Ótima escolha começar a ler HQs. Sempre incentivo pessoas a fazer o mesmo e muitos já me agradeceram.

    Lembro que cheguei a fazer um post parecido num certo site e o povo curtiu, mas na época foi uma espécie de “parte 1” onde eu dei mais atenção aos clássicos da Marvel e da DC.

    Por falar neles, o Justiceiro do Garth Ennis é a melhor interpretação do personagem na minha opinião. Esse autor consegue produzir violência de forma realmente impressionante. Pra quem curte “gore”, é de primeira linha. hahah

    • Vivi Werneck
      14/12/2012

      obrigada fernandinho e valeu pela indicação!

  26. Gilberto
    15/12/2012

    Está aprendendo…quando nos encontrarmos te apresento novas maravilhas.
    Não deixe de falar do Monster!!!
    Bj

    • Vivi Werneck
      16/12/2012

      Gil! Que bom que apareceu! Já te disse que enquanto estiver fora do Rio posso tomar conta do seu acervo de HQs e sem custos! rs. Bjs

  27. Fernando Landeira
    18/12/2012

    Monster é muito sensacional. Recomendo fortemente ele e o 20th Century Boys. São duas grandes obras do mestre Urasawa que estão sendo publicadas no Brasil atualmente.

  28. Shaka
    25/12/2012

    Tb adoro hqs, apesar de não ser minha mídia favorita.

    Eu achei muito interessante o roteiro de Y – The Last Man, não li ainda, mas pelo que vejo o povo comentando acontece umas coisas bem fora do padrão do que agente imaginaria se realmente só sobrasse um homem da espécie humana na face da terra.

    Me surpreende vc não ter colocado Hellblazer nos primeiros lugares já que vc está lendo, eu achei no mesmo nível de preacher e são minhas duas favoritas da vertigo.

    The walking dead ainda não tive a oportunidade de ler, até pq tenho muita coisa pra ler e está bem caro, quanto mais avança a hq menos eu tenho vontade pq são mais coisas pra ler…. Quem sabe um dia eu não leio.

    Vivi vc que não gosta muito de história de super heróis deveria ler “Guerra Civil” da marvel, vc iria ver que não é infantiloide e aborda conceitos bem legais, todo mundo que está querendo iniciar em hqs de heróis eu remendo essa obra épica e linda.

    Ps.: Finalmente consegui abrir o site.

  29. Sputnik
    09/01/2013

    Oi e desculpem o atraso (kkk’). Adorei sua lista de HQ’s e Preacher (qual já ouvi muito à respeito) muito me atrai mas não encontro em lugar nenhum. Já que você mora no Rio, pode me indicar alguma loja/banca/livraria/traficante onde eu possa encontrá-lo, de preferência desde as primeiras edições? Já tem um tempo que tenho esse interesse por quadrinhos e há muito vinha lendo digitalmente, mas a graça da coisa meio que se perde quando cê olha na prateleira e não vê as “revistinhas” lá e isso sempre me frustou ao ponto d’eu desistir do hábito. E já tem um tempo que deixei de procurar também porque ou não tinham a coleção completa ou não tinham nada (geralmente procurava nas banquinhas de jornaleiro).

    • Vivi Werneck
      09/01/2013

      Bom, todas as HQs em papel que eu tenho eu importei da Amazon. E olha que ficou mais barato do que os encadernados vendidos em livrarias e chegou rápido. O lance é que vem tudo em inglês. Se não tiver problema com isso eu recomendo. No mais, outra saída é ler vias os aplicativos que listei no posts em tablets (no smartphone acho que fica muito pequeno). Bjs =)

  30. 11/01/2013

    Para quem publica seus quadrinhos de maneira independente e acredita que o caminho para a felicidade está nas grandes editoras, uma supresa: as vida de quem trabalha do lado de lá não é só de flores.

  31. 13/01/2013

    Vivi, não é nenhuma surpresa pois a maior parte das pessoas que jogam games também curtem quadrinhos. ah, Vertigo… sua capacidade de fazer sumir nosso véu de ignorância em hqs é extraordinária… adoro Preacher, monstro do pântano de Alan Moore, Os Invisíveis, Sandman (meu favorito ever)… a lista é longa…

  32. Daniel Machado
    23/01/2013

    Curti, as pessoas estão seguindo uma ‘onda oriental’ o que não é ruim mas tem de se entender que um naruto nunca vai superar um The Sandman, Lúcifer ( spinoff de Sandman escrito por Myke Carey, de Hellblazer) ou qualquer outra revista Vertigo. Uma boa história não tem nada haver com crateras gigantescas formadas por golpes tão exagerados que chegam a ser ridículos , digo isso com certa propriedade já que escrevo e desenho histórias em quadrinhos.

Crie uma conta no gravatar.com para colocar sua foto nos comentários.

Sempre que comentar em algum blog com o email cadastrado, aparecerá sua imagem.